Se locomovendo em NY - a pé




Bom, a cidade é aquilo tudo que você vê nos filmes mesmo: muita gente, turistas, táxis e barulho. As melhores opções de meio de locomoção que indico: pé, táxi e metrô (nessa ordem). Ainda é possível pegar ônibus, mas como não usei, não tenho o que falar. Sei que a fama é muito boa.

Sem sombra de dúvidas Nova Iorque é a cidade mais fácil de andar a pé que já tive oportunidade de conhecer. Além da ilha de Manhattan não ser muito grande, a porção de terra é toda dividida em blocos (quadras), as ruas são todas numeradinhas e o trânsito por mais incrível que possa parecer é na medida do possível organizado (com as devidas mãos e contra-mãos). Respeitado que é bom, não posso dizer que é tanto assim...

São as avenidas principais (avenue, av) - da York Av. até a 11th -  que correm em sentido norte-sul (north-south) da ilha, essas são cortadas perpendicularmente pelas ruas (street, st) que correm no sentido este-oeste (east-west).

Pra falar a verdade, só fui me dar bem com os pontos cardeais depois que subi no Empire State Building e de lá tive a visão geral da ilha. Ele fica na 5th avenida, e definindo ali como o meio de NY, a localização cartográfica fica assim:

South: lado para onde as streets diminuem, lá estão o Wall Street, Litlle Italy, Chinatown, Greenwich Village, Memorial do 09/11, a Estátua da Liberdade e etc.

North:  lado para onde o número das streets aumentam, lá estão o Central Parque, Rockfeller Center, Times Square, Biblioteca Pública, Upper East Side, Upper West Side, Museu de História Natural, Moma, MET, Guggenheim, Bronx e etc.

West: lado para onde o número das avenidas aumentam, lá estão o Madison Square Garden, Macys, New York Times, Nova Jersey (já fora da ilha) e etc.

East: lado para onde o número das avenidas diminuem, lá estão o Chrysler Building, Estação Central, as várias pontes legais, Long Island, Queens, Brooklyn e etc.

Pronto! Com isso na cabeça e com um mapa dos mais simples nas mãos você vai fazer tudo o que quiser e por todas as bandas. Sem nem pensar, assim como em Amsterdam (a Old York), você anda pra caramba e só se dá conta no fim do dia quando as pernas estão quase dando trombose. As coisas estão sempre nas quadras ali pertinho, o clima é gostoso, a energia das ruas contagiante...o resultado são panturrilhas bem definidas.  Muito fácil de andar, mais fácil que Brasília a "cidade onde as ruas não têm nome".



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Zoo Luján de Buenos Aires: a pior coisa para se fazer na vida

Balada em Punta del Este, no Uruguai

Balada em Cartagena de Índias, na Colômbia