terça-feira, 21 de março de 2017

Caso: Surpresas no aeroporto

Da Série Cuidado na Estrada!



Sabe quando você tá cansado do trabalho, da rotina e faz planos de férias? Daí decide finalmente um destino, compra as passagens, enfim, agiliza tudo? Um tempo depois descobre que coincidentemente um amigo tem casa nesse lugar e te convida para se hospedar lá? Tudo maravilhosamente dando certo, e o destino (muito estranhamente) fazendo a parte dele...será que depois do aniver de 30 anos as coisas mudam mesmo? A resposta é não, não mudam...pelo o menos algumas coisas não.

Estávamos desfrutando das benesses de Trancoso e tava tudo tão perfeito que estava soando esquisito. Economizamos uma grana boa na hospedagem ficando na casa da família de um amigo, e que casa era aquela, que café-da-manhã, que almoço, que churrasco, que vinho, que piscina, que quarto, que companhias de viagem...não senti falta em nenhum momento de um hotel ou pousada. 

As praias eram deliciosas, e a cada dia era uma descoberta na natureza daquela região em que os próprios europeus chegaram às "Índias" e ficaram entorpecidos pela beleza. Foram dias ótimos, e que além desses bônus turísticos, renderam os tão sonhados momentos de relax e descanso. 

Já no fim da viagem, no café-da-manhã a tia do nosso amigo comentava sobre o voo dela de volta para Brasília. Entramos nesse assunto e conversa vai, conversa vem, entre um presunto e outro, eu comecei a prestar atenção. A pauta era o caso de uma pessoa que no voo de volta (Porto Seguro - Brasília) teve que fazer uma escala em São Paulo (sim!), mais especificamente em Viracopos, vulgo Campinas (siiim!). "Que maluquice é essa!!!??", eu disse. E tinha mais: os custos entre o deslocamento entre Viracopos e Congonhas (o voo para Brasília saia de lá) ficou por conta da pobre passageira. "Deus me livre disso!", eu disse. 

O Matheus, que deixou essa parte comigo, só me olhou com aquele sorriso de quem pensa "ainda bem que não passaremos por isso não é mesmo, Gatinha?". Segundos depois desse olhar ter sido entregue e visualizado, eu acessei nossas passagens no celular só para limpar a consciência, porque eu já tinha falado alto e com todas as letras que o nosso voo não tinha nenhuma surpresa assim, que estava tudo certinho. 

Conferi os horários, as datas, as marcações dos assentos e estava tudo certinho mesmo. Era sabido que nossa ida foi num voo direto e que nossa volta seria com uma escala em São Paulo. Até aí tudo bem, apesar de não ter sentido algum passar antes em São Paulo. Quando eu olhei com mais carinho achei a "surpresa", a escala envolvia aeroportos diferentes em Sampa. Teríamos que correr de Guarulhos para Congonhas naquela loucurinha típica de viagens. 

Foi aí que percebi que as emoções na minha vida não davam a mínima para o fato de eu ter completado 30 anos e já ser, no strictu sensu, uma pessoa "madura". E lá fomos nós para mais uma saga na montanha-russa dos transportes, subindo e descendo de vários lugares até chegar em casa. 

Fomos de carro de Trancoso para o aeroporto de Porto Seguro, pegamos o avião. Chegamos em Guarulhos, corremos para pegar o ônibus da TAM que nos levaria para Congonhas no trânsito de São Paulo. Chegamos em Congonhas e corremos para fazer o check-in, pegamos o voo para Brasília...tudo nesse carrossel de emoções. Nada mal voltar à rotina com essa dose de adrenalina na veia! 

A dica é: sempre dê uma olhada inclusive nos aeroportos das escalas. Isso acontecia bastante no caso dos voos internacionais, mas confesso que no voo doméstico isso foi novidade pra mim, aliás, pegadinha (nível João Kleber).

Veja o vídeo dessa saga: https://goo.gl/YQbUvb



Trancoso, na Bahia




Não sei você, mas eu sempre quis conhecer Trancoso. Só me faltava a oportunidade, e eis que ela surgiu. Trancoso é uma vilazinha (pelo o menos começou assim) bem charmosa que fica localizada na Costa do Descobrimento (a história do Brasil começa aí), no litoral sul da Bahia. Eu já tinha passado por alguns pontos dessa costa no passado, ainda criança, mas a ida até Trancoso me fez perceber que eu amo essa região, que além de tudo de bom que tem para oferecer, fica bem perto de Brasília. 

Já tinha ensaiado umas pesquisas para Trancoso e sempre achei meio "fancy" demais, e realmente é. Não gosto de delimitar muito as opções mas, assim como Punta del Este, acho que Trancoso é um destino muito específico e que vai atender, principalmente, às pessoas que estão dispostas a gastar mais dinheiro. Claro que dá pra pesquisar e achar opções estilo "mochilão", mas confesso que a proposta mais "fina" é muuuito bacana, ainda mais se for na delícia que é Trancoso.

Para chegar lá, é preciso descer no aeroporto de Porto Seguro (pequeno e modesto mas que está acostumado a receber muitos voos internacionais e particulares) - leia aqui os detalhes sobre esse deslocamento de avião. De lá, é só dirigir na direção sul, passando por Arraial D'ajuda e depois, Trancoso (cerca de 40 minutos). 

O esquema é ter carro, apesar de estacionar em Trancoso ser praticamente inviável. Ache uma pousada na praia ou nos arredores do Quadrado, a praça principal. Lá estão os restaurantes, bares e lojinhas de todos os estilos e preços (geralmente altos). Você vai precisar de um carro para ir até as praias vizinhas, e se ele for mais potente, melhor ainda. Ande bastante pela costa passando por Santo Andre, Santa Cruz Cabrália, Porto Seguro, Arraial, Trancoso, Caraíva, Corumbau, Prado...etc. 

Em Trancoso, a praia mais fácil de ir é a Praia dos Nativos, fica próxima ao Quadrado. Você pode escolher entre as várias barracas de praia que estão disponíveis, o mar me agradou muito pois era mais tranquilo e com uma temperatura maravilhosa (morna). 

Acessamos a Praia Rio da Barra pelo Rio da Barra Villa Hotel (R$ 30 para estacionar), usamos a estrutura deles de praia. A mesa custava R$ 400 revertido em consumação, mas a praia é linda e a estrutura também bem aconchegante. Nas altas temporadas, rola aquele desfile de moda praia em que a maquiagem a prova d'água é só a ponta do iceberg. 

Nos outros dias fomos de carro para Santo André, vila que fica na direção norte, depois se Santa Cruz Cabrália, e onde a Seleção Brasileira da Alemanha se hospedou para Copa do Mundo (e hoje é um hotel de luxo que permite day use). Na direção sul de Trancoso, uma estrada de chão dá acesso à Praia do Espelho e à Caraíva. Nessa mesma estrada é possível visitar o centro comercial de uma aldeia indígena pataxó, os produtos são muito interessantes. 

A Praia do Espelho, hospedagem do Leo Dicaprio, é linda de morrer. Tem vários restaurantes e pousadas, mas a dica é ir andando na direção norte, até chegar na parte mais deserta. Não tem estrutura nenhuma, então é bom levar uma caixa térmica com todos os insumos necessários. Apesar da gente não ter conseguido fazer snorkel, vale a pena sempre tentar, e se tiver, vá com com as sapatilhas próprias para entrar no mar que forma piscinas naturais. É de longe a paisagem mais linda da viagem. Tome cuidado com a subida da maré para não ficar preso na praia já que foi para região mais deserta e isolada. 

No outro dia, na mesma estrada, seguimos para Caraíva um vila fofíssima em que os carros não entram e o rio encontra o mar. Todos estacionam o carro e fazem a travessia em canoas (pague diretamente ao canoeiro). Até chegar à praia, fomos passando pelas ruas da vila que é cheia de pousadas, restaurantes e placas com propagandas de forró. Um sonho de lugar! Muita gente faz canoagem e stand up paddle no rio. Seguindo até a praia (vá de chinelo porque a areia queima a alma), existem umas 4 estruturas para ficar. Escolhemos a Pousada Casa da Praia que tinha uma comida bem gostosa e uns almofadões maravilhosos, a consumação mínima era de R$ 80 pela mesa. A praia é mais agitada e como é o encontro com o rio, é meio escura mas com o passar do dia vai ficando mais azul. Confesso que chegamos a cogitar passar uma noite na Pousada Casa da Praia, aliás, se der, faça isso!

Anoite vá para o Quadrado e escolha um dos restaurantes bonitinhos que tem por lá (achei a qualidade da comida de Jeri melhor), compre os chocolatinhos de cacau típicos dessa região e impossíveis de parar de comer, vá até a brigaderia, tome o sorvete de capim santo...enfim, muita coisa legal! Não esqueça de ir no Café de la Musique, uma bar/restaurante/barraca de praia/balada. Na filial que fica no Quadrado é possível ver a programação e comprar ingressos - prepare-se para os preços nível Punta

No Quadrado também está a Igrejinha que anoite vira point dos turistas e dos casamentos, já que está na modinha casar por lá. 

Assista os vídeos que fizemos em Trancoso para conhecer um pouquinho: 

Episódio 1 - Indo para Praia do Espelho (https://goo.gl/Ai8JrW)



Episódio 2 - Conhecendo o Quadrado (https://goo.gl/hbYoaT)


Viagem: Janeiro (2017).

Las Vegas, nos Estados Unidos (Parte 1)

Depois do natal encantado que tivemos em Nova Iorque , partimos para Las Vegas para usufruir do famigerado réveillon. Adquirimos o voo...