terça-feira, 22 de novembro de 2011

Planejando com as próprias mãos...



Essa talvez seja a maior dúvida de muita gente, e ironicamente ainda não tinha escrito nada aqui sobre o tema. Na verdade, posso e vou escrever sobre o meu método de planejamento, é o que tem funcionado comigo. Vou tentar ser bem minusciosa e o mais clara possível, afinal de contas é mais complexo um pouco do que ir até a agência de viagens, folhear o catálogo de pacotes e digitar a senha do cartão.
Eu separo o planejamento em três partes:
1. Concepção: É o momento em que surge a oportunidade de realizar uma viagem. Seja por motivos naturais, promoções ou por intervenção de algum santo amigo. Aqui você vai definir o(s) destino(s), o motivo da viagem, a época e as parcerias/cias.
2. Logística: Diz respeito a tudo que gira em torno à parte prática para a viagem se consolidar. Como traslado, deslocamento, hotel e etc.
3. Guia: Depois de tudo reservado e comprado, você se joga na pesquisa do que você poderá encontrar pelo destino. Fica por dentro dos restaurantes, baladas, lojas, marcas, produtos, tradições, regras...É a hora de fazer seus contatos.
Etapas:
1. Decidir que quer viajar
1. Definir a quantia financeira disponível para o investimento (lembre-se viagem é sempre um investimento de vida e não um gasto ou despesa)
1. Definir cias de viagem (provavelmente uma das partes mais importantes, gaste mais tempo aqui)
1. Decidir o destino (abra o mapa mundi e veja as suas opções, eu sempre faço isso)
1. Decidir época (verão, inverno...)
2. Escolher cidades (às vezes as mais famosas não são as mais interessantes)
2. Estipular dias de permanência nas cidades (pesquise sobre o tamanho e atrações de cada uma para ter uma noção de dias que precisará reservar)
2. Pesquisar/Comprar aéreos de saída e volta ao Brasil (provavelmente será sua primeira compra, pesquise os melhores valores, trechos e cias aéreas)
2. Pesquisar/Comprar trens, ônibus e balsa entre cidades (parte mais chata, mas indispensável deixar para ver isso no dia é autosabotagem)
2. Pesquisar/reservar hospedagem (faça junto com a pesquisa/compra dos meios de locomoção entre cidades para uma melhor visualização de diárias a serem reservadas)
3. Pesquisar baladas, pontos turísticos, restaurantes, lojas, passeios, etc. (essa parte é mais divertida e vai te dar vontade de antecipar logo a ida)


A qualquer tempo:
  • Comprar a qualquer tempo a moeda do país (fique de olho para comprar o melhor câmbio).
  • Recolher dicas com pessoas que já estiveram por lá (o chamado benchmarking).
  • Comprar seguro viagem (às vezes se faz necessário).
  • Comprar um guia pequeno em alguma livraria ou, de repente, deixar para comprar na própria cidade.

É importante começar o trabalho todo com antecedência. Se seu roteiro é complexo e envolve muitas cidades e muitos deslocamentos eu aconselho iniciar com mais de 6 meses antes do embarque. Dessa forma, você economiza nas passagens e não corre o risco de se deparar com hotéis sem disponibilidade ou coisas do tipo. É possivel viajar com menos tempo de planejamento? Claro que sim, mas porque deixar para fazer a amanhã ou que se pode fazer hoje? E olha, é uma delícia essa trajetória de pendências e pesquisas para uma viagem, você já entra no clima um ano antes de pensar em fazer as malas.

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Feriadex



Em pleno feriadão de novembro curtido em casa no maior reboliço de mudança de casa, fiquei com uma saudadinha de escrever para o blog. Fazer mudança de casa é como fazer malas numa potencialidade elevada a décima quinta potência. Ô trem trabalhoso! Em meio a essa atividade toda e fora as muitas dores musculares localizadas, tenho escutado sobre viagens e a chegada do verão, ah o verão!

Todos os jornalecos enfatizam os preços das passagens em ascendência nesse fim de ano. Ok, quem não sabia? Todo santo ano é assim, a tal da alta temporada. Por isso frizamos tanto o planejamento e as compras antecipadas. Outra coisa que vi, dessa vez no Fantástico, foi aquele quadro “O que vi da vida” com Amyr Klink. Foi bacana, muito bom escutar o que esse homem tem a dizer. Coloquei o vídeo aqui para quem não viu:

"O importante é ir ver!"
                                     Amyr Klink



Inclusive se alguém da minha família estiver lendo esse post e estiver com a velha dúvida do presente de natal/aniversário um livro como o dele é bem legal, fora um secador de cabelo portátil para viagens, uma mala grande e resistente, cadeados para malas...

Também vale destacar o que a primeira ministra alemã disse, que este é o momento mais duro da crise mundial desde a segunda guerra. As coisas estão bem cabreiras para principalmente a Itália e a Grécia. Não sei se é prudente armar alguma viagem para esse primeiro semestre à Europa. Vamos ver como se encaminham as coisas.

No mais, é isso. Muita gente se jogando no sertanejo de Caldas Nápoles e outros batendo cabelo em Sum Paulo no SWU, para quem não sabe, Starts With You...rsrsrs. Eu reporto aqui de Brasólia chuvosa, coisa mais gostosa do mundo. Eu sou meio controversa mesmo, amo ficar em casa. Tem gente que acha que eu saio todos os dias, todos os dias #morri. Quem dera...

É gente, o ano tá acabando...mais um ficando para trás. Boa noite procê! Ah, (eu sei que não tem nada a ver escrever isso, masss...) quando um homem tem algum interesse "diverso" em você, ele vai começar a conversa com um “Oi linda...”. É batata!


terça-feira, 8 de novembro de 2011

Clube de Viagem - João Pessoa (PB)


Esse mês a dica vai ser de João Pessoa, também no nordeste que ,vale dizer, está bombando neste período de chuva em Brasília. Quem esteve por lá foi minha grande amiga Polly que também me acompanhou naquela viagem da Oktoberfest em Blumenau. Ela ficou por lá por 5 dias, coincidindo com o primeiro fim de semana de novembro.

Estilo da Viagem: Amigos
Hospedagem: Casa de conhecidos (R$ 0,00).
Deslocamento: TAM no programa de milhagem.
Grana: Gastou menos que o previsto.
Sugestão de dias mínimos na cidade: 3 dias.
Baladas, shows e afins: Ela indica a choperia Chopp Time.

Pôr-do-sol na Praia do Jacaré
 
O que indicaria?
           Indico comer muitos frutos do mar e não deixar de ir, de forma alguma, na Praia do Jacaré e ver o pôr-do-sol super famoso ao som do bolero de ravel.


O que não indicaria?
           Não indico a praia de nudismo de Tambaba. 

Resumo da Viagem: Gostei da cidade, mas agora vou para outros lugares.

Ficou com alguma dúvida ou curiosidade? Entre em contato com a Polly: polly.basso@gmail.com


quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Saco de malas!

Minha mala


Hoje fiquei com vontade de escrever sobre malas, de novo. Sim, de novo. Parece que esse assunto nunca tem fim. Eu adoro viajar mas duas coisas, disparado, me matam de preguiça, desapego e falta de paciência: arrumar e desarrumar as malas.

Quando eu penso nessa parte, dá vontade de desistir de sair de casa, e levando em consideração que eu jamais faria isso e ainda mais por um motivo  desses tão supérfulo, tenho que me jogar mesmo na produção das mesmas. Antes eu escolhia a mala da vez e uma semana antes do embarque ela ficava aberta no meu quarto pra que eu fosse lembrando de coisas importantes e arremessando pra dentro dela. Hoje, eu faço a mala de qualquer jeito na noite anterior da viagem.

Ah eu sei que tá errado, mas é que não tenho paciência mesmo. Uma vez, uma amiga teve que ir até minha casa arrumar a minha mala que não estava cabendo o “necessário”. Graças a Deus ela acatou a missão com muita seriedade e além de eliminar itens invasores de malas, com todo jeitinho e paciência me deu uma mala super organizada e cheia de espaços para emergências.

Eu tenho um pouco de problema em levar coisas que relamente usarei, sempre vai e volta coisa que foi só pra ocupar espaço. Às vezes esqueço coisas meio úteis tipo escova de dente, shampoo, creme de pele, uma bolsa...às vezes coloco essas coisas líquidas no lugar errado e no aeroporto tenho que jogar fora. Às vezes chego no destino abro minha mala e não gosto de nada que levei. Fico triste.

Na volta, depois de alguns precedentes, na minha última viagem levei um susto quando voltei do trabalho e minha mala estava completamente desfeita e com todos os encaminhamentos dados (tipo roupa suja no cesto de roupa suja). Minha mãe, querida mãe, tratou de resolver essa pendência com as próprias mãos. Me senti meio mal, confesso. Tanto ela, quanto eu, sabíamos que aquela mala ficaria rolando ali pelo quarto umas 4 semanas, até de repente emendar na próxima viagem. Quem estou querendo enganar? Era justamente o que ia acontecer, líquido e certo.

Bom, hoje tenho uma mala para fazer, de final de semana. Teoricamente, super tranquila e fácil. Teoricamente. Eu queria muito ter a opção de apertar um botão e meu guarda-roupa ejetar uma mala prontinha em alguns minutos, para ter essa tecnologia toda, eu esperaria até algumas horas sem problema algum. 

Meu sonho de mala


Como escolher seu hotel em Las Vegas

Sempre ouvi dizer que a hospedagem em Las Vegas é um item muito fácil de resolver, porque são muitas opções e, portanto, acaba sendo ...