Planejando com as próprias mãos...



Essa talvez seja a maior dúvida de muita gente, e ironicamente ainda não tinha escrito nada aqui sobre o tema. Na verdade, posso e vou escrever sobre o meu método de planejamento, é o que tem funcionado comigo. Vou tentar ser bem minusciosa e o mais clara possível, afinal de contas é mais complexo um pouco do que ir até a agência de viagens, folhear o catálogo de pacotes e digitar a senha do cartão.
Eu separo o planejamento em três partes:
1. Concepção: É o momento em que surge a oportunidade de realizar uma viagem. Seja por motivos naturais, promoções ou por intervenção de algum santo amigo. Aqui você vai definir o(s) destino(s), o motivo da viagem, a época e as parcerias/cias.
2. Logística: Diz respeito a tudo que gira em torno à parte prática para a viagem se consolidar. Como traslado, deslocamento, hotel e etc.
3. Guia: Depois de tudo reservado e comprado, você se joga na pesquisa do que você poderá encontrar pelo destino. Fica por dentro dos restaurantes, baladas, lojas, marcas, produtos, tradições, regras...É a hora de fazer seus contatos.
Etapas:
1. Decidir que quer viajar
1. Definir a quantia financeira disponível para o investimento (lembre-se viagem é sempre um investimento de vida e não um gasto ou despesa)
1. Definir cias de viagem (provavelmente uma das partes mais importantes, gaste mais tempo aqui)
1. Decidir o destino (abra o mapa mundi e veja as suas opções, eu sempre faço isso)
1. Decidir época (verão, inverno...)
2. Escolher cidades (às vezes as mais famosas não são as mais interessantes)
2. Estipular dias de permanência nas cidades (pesquise sobre o tamanho e atrações de cada uma para ter uma noção de dias que precisará reservar)
2. Pesquisar/Comprar aéreos de saída e volta ao Brasil (provavelmente será sua primeira compra, pesquise os melhores valores, trechos e cias aéreas)
2. Pesquisar/Comprar trens, ônibus e balsa entre cidades (parte mais chata, mas indispensável deixar para ver isso no dia é autosabotagem)
2. Pesquisar/reservar hospedagem (faça junto com a pesquisa/compra dos meios de locomoção entre cidades para uma melhor visualização de diárias a serem reservadas)
3. Pesquisar baladas, pontos turísticos, restaurantes, lojas, passeios, etc. (essa parte é mais divertida e vai te dar vontade de antecipar logo a ida)


A qualquer tempo:
  • Comprar a qualquer tempo a moeda do país (fique de olho para comprar o melhor câmbio).
  • Recolher dicas com pessoas que já estiveram por lá (o chamado benchmarking).
  • Comprar seguro viagem (às vezes se faz necessário).
  • Comprar um guia pequeno em alguma livraria ou, de repente, deixar para comprar na própria cidade.

É importante começar o trabalho todo com antecedência. Se seu roteiro é complexo e envolve muitas cidades e muitos deslocamentos eu aconselho iniciar com mais de 6 meses antes do embarque. Dessa forma, você economiza nas passagens e não corre o risco de se deparar com hotéis sem disponibilidade ou coisas do tipo. É possivel viajar com menos tempo de planejamento? Claro que sim, mas porque deixar para fazer a amanhã ou que se pode fazer hoje? E olha, é uma delícia essa trajetória de pendências e pesquisas para uma viagem, você já entra no clima um ano antes de pensar em fazer as malas.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Zoo Luján de Buenos Aires: a pior coisa para se fazer na vida

Balada em Punta del Este, no Uruguai

Balada em Cartagena de Índias, na Colômbia