quarta-feira, 22 de dezembro de 2021

Primeira viagem de avião com bebê



E lá fomos nós pegar o avião para chegar na praia (fomos para Maragogi-AL). Confesso que fiquei muito apreensiva pois as minhas experiências em voos com crianças não eram muito boas: quando eu era a passageira sem filhos na poltrona mais próxima. Dessa vez, seria eu a responsável pelo baby que poderia (ou não) se manifestar negativamente no durante a viagem (o Theo estava com 6 meses e não tinha iniciado a introdução alimentar, estava com aleitamento materno exclusivo e nunca usou chupeta e mamadeira). Sim, porque diz a lenda de que tem baby que não sente nada e passa o tempo todo ou mamando ou dormindo. 

Queria muito estar dentro dessa estatística, mas não foi o caso. Minha maior apreensão estava no fato da principal atitude de sanar qualquer problema ser colocar o bebê para mamar. Quando estávamos ali pelo 3° mês começamos a implementar em casa a modalidade de mamar deitados por conta da minha dor nas costas. Resolveu super o problema além de o Theo mamar com mais eficiência, mais tempo e ainda engatar no sono. O problema é que ele gostou tanto da posição, que não queria mais mamar na posição tradicional e toda vez que saíamos de casa (o que foram poucas vezes devido à pandemia) eu tinha que achar uma cama para realizar o procedimento. 

Umas semanas antes do embarque, eu e Math, visualizamos o trampo que seria para ele mamar comigo sentada no avião e durante a viagem (nem sempre teria um local apto para gente se deitar). Sendo assim, começamos imediatamente uma rotina em casa de mamadas sentadas e fomos reduzindo as deitadas. A tática deu certo, mas na data da viagem a prática ainda era muito incipiente, e se ele iria colaborar no voo seria uma bela de uma incógnita.

Nesse contexto embarcamos. 

Levamos uma bolsa cheia de entretenimento. Brinquedos das mais variadas tipologias: de borracha, madeira, plástico, pelúcia, tricô, livrinhos, e ainda deixei salvo uns videos do Mundo Bita (ele não tinha acesso à telas ainda mas foi uma opção no caso de um possível desespero). 

Para completar a cena, a Latam nos colocou em assentos separados e o máximo que conseguimos foram poltronas lado a lado com o corredor entre nós. Foi péssimo pois o espaçamento entre as pessoas é mínimo. É muito importante que a pessoa do seu lado seja conhecida pois vai sobrar parte do bebê no colo dessa pessoa também. 

Na Ida
Depois de solucionado o problema dos assentos separados, estava tudo indo bem. O Theo estava sussa...rindo e brincando (e eu segurando seus braços de polvo que insistiam em grudar na moça ao lado). Minutos antes de decolar o Math o pegou e conseguiu colocá-lo para dormir. 

Depois de uns 15 minutos, ele acordou. Veio pra meu colo e conseguimos nos distrair. Perto do pouso, as coisas complicaram e começou o choro, que foi se intensificando e nada resolvia. Nenhum brinquedo, nenhum dos peitos, ficar em pé, ficar sentado, colo da mãe, colo do pai, andar pelo avião...nada. A moça do meu lado teve a brilhante ideia de dar sua garrafa de água na mão dele. Ele começou a morder essa garrafa (que estava ainda meio gelada) como se fosse um viciado em cocaína. E assim conseguiu se acalmar. Sim, ele teve um pico de estresse devido ao nascimento dos primeiros dentes inferiores. Sim! Dentro do avião! 

Depois do trauma (dos pais) ficamos espertos para levar uma garrafa com água semi congelada na volta. 

Na volta
Chegamos com literalmente o c* na mão. Dessa vez, conseguimos completar nossa fileira só com gente conhecida. Eu, Math e minha irmã (nossa carta na manga pois ele é louco por ela). 

Antes do avião decolar, tivemos choro. Antes dele sair do chão, usamos todos os nossos trunfos. Tudo. Brinquedos, peitos, garrafa de água, celular, minha irmã...nada resolveu. O avião finalmente decolou (demorou 300 anos andando até a pista) e ele na base do choro extremo e ininterrupto. Logo depois, o Math conseguiu desafivelar o cinto e ir até o fundo do avião. Enquarto isso eu consertava minha máscara que me deu o grande prazer de arrebentar. Consertei e fui lá atrás. Não hesitei em pegá-lo e pedir pra sentar na cadeirinha da aeromoça. Nessa hora consegui fazer ele mamar. O bichinho foi vencido pelo cansaço de tanto chorar. Ele engatou num sono. Fiquei mais uns 10 min sentada para garantir esse sono, não queria que acordasse de jeito algum. Quando senti que rolou um sono profundo, fui até nossa cadeira e sentei meio de lado (os assentos são muito grudados...afff). Do jeito que me acomodei, fiquei o voo inteiro com ele no colo rezando para não acordar. Fiquei sem respirar, comer, beber, coçar onde coçava, falar...mas deu certo. As mães que lutem, amigo. 

Cheguei precisando de uma sessão de RPG para desempenar, sim. Mas deu certo. Pedimos ao comissário para sair logo do avião e quando cheguei no saguão do aeroporto o princeso acordou como se nada tivesse acontecido. 

Tudo que queria naquele momento era de férias e descanso...mas uma bagagem cheia de roupa suja nos esperava em casa. 


Dicas:
- Escolha voos diretos e com menor tempo possível;
- Opte por voos em horários mais próximos às sonecas do baby;
- Algumas cias aéreas disponibilizam berço (entre em contato com a sua para saber o que tem direito);
- Acostume seu filho a mamar na posição em que a mãe esteja em pé ou sentada (já prevendo as diversas situações nas férias);
- Pague pelos assentos e assegure pessoas conhecidas nas poltronas do lado;
- Segure para dar o peito perto do momento de decolagem e aterrizagem;
- Dê algo para ele sugar: peito ou chupeta ou mamadeira;
- Leve brinquedos para entreter o baby (os preferidos dele) e evite os com sons e luzes para não incomodar mais os outros passageiros;
- Leve uma garrafinha de água de plástico (acabou sendo um ótimo brinquedo);
- Algumas pessoas recomendam levar uns saquinhos com mimos, geralmente chocolates e balinhas, com um bilhete pedindo desculpas para entregar aos passageiros mais próximos;
- Leve comida para distraí-lo; 
- Em momentos tensos, vá para o fundo do avião (ou frente) e tente balançá-lo, peça pra sentar na cadeira da aeromoça;
- Vista-o com roupas mega confortáveis: quentinhas e nada apertado. Uma boa dica é usar pijamas;
- Use roupas confortáveis também para não incomodá-lo e ter mais liberdade de movimento;
- Embarque com tudo ok: fome, fralda e conforto;
- Se for costume, leve o sling ou a mochila evolutiva (tente treinar em casa ele dormir com você sentada simulando a cadeira do avião);
- Compre aqueles lenços de limpar superfícies, tipo da Lisoform, para dar uma geral principalmente na mesinha de comida que é o lugar mais sujo dos aviões;
- Marque uma massagem relaxante para quando chegar (de preferência com um profissional que atenda a domicílio);
- Deixe uns dias no final das férias livres para descansar e organizar as malas com coisas sujas. 



Leia também: 
No carro
Dia a dia na praia
Volta da viagem

quarta-feira, 24 de novembro de 2021

Viagem com bebê - check list do que levar na mala



Quando a gente marca as férias não cai a ficha da parte trabalhosa que é organizar as malas de todos para a aventura, principalmente, quando é a nossa primeira vez com um baby.

Pois bem...a dica principal é começar a organização com antecedência, tipo abra uma mala no quarto uma semana antes do embarque e vá jogando lá dentro tudo que for lembrando.

Lembre-se que você vai precisar levar tudo da rotina com seu filho(a) e são esses itens que vão deixar tudo mais pesado e volumoso. No nosso caso, fomos para praia então, além de tudo, ainda tinha todos os apetrechos praianos.

Outra dica é dar uma olhada na previsão do tempo sobre o clima porque essa com certeza será a mala do “Vai que...”. Vamos para praia mas vai que dá um vento no fim do dia? Vai que rola uma chuva de verão? Vai que tem muito ar condicionado nos lugares fechados? Vai que anoite faz mais friozinho? Vai que... então além das roupas de verão, vale a pena levar umas coisas de inverno (e vice e versa).

Coloque na mala de mão os itens mais imprescindíveis do seu filho para o caso de ter problemas com as malas despachadas.

Para facilitar vou enumerar os itens que devemos levar:

HIGIENE

Fraldas descartáveis (dependendo do lugar talvez compense comprar lá. Fizemos uma conta de 8 por dia)
Shampoo
Creme hidratante
Cotonete
Discos de algodão
Escova de cabelo
Escova de dente
Pasta de dente
Nose Frida
Soro fisiológico
Seringa
Pomada de assadura/óleo de coco
Lenços umedecidos
Cortador de unha
Álcool gel

FARMÁCIA


Vitamina D
Ferro
Demais remédios de rotina
Remédios básicos de viagem (pegue a receita com seu pediatra)
Termômetro
Curativo
Inalador nasal portátil

ROUPAS

Bodys de manga curta
Bodys de manda cumprida
Bodys regata/Rompers
Calça para dormir
Shorts
Fralda de pano
Pijamas e meias (roupas bem confortáveis para o avião)
Manta
Casaquinho de frio

ITENS DE PRAIA

Canga
Roupas de proteção UV
Chapéu com proteção UV
Brinquedos de praia 
Boia
Piscina
Óculos de sol
Protetor solar
Pós-sol (eu usava só hidratante Cetaphil)
Borrifador de água (para o caso de calor extremo)
Roupão/toalha
Talco (para tirar areia da praia)
Sacola reutilizável de mercado (para transportar a parafernalha e coisas molhadas)
Sapatilha antiderrapante de neoprene
Fraldas descartáveis para piscina
Fraldas ecológicas (eu levei umas duas pois são aptas para piscina também)

ALIMENTAÇÃO

Potes térmicos
Colher
Copo
Plástico ziplock
Porta Snack
Porta-fórmula
Mamadeira
Babador (avaliar se é o caso)

DOCUMENTOS

Certidão de nascimento
Caderneta de saúde
Carteirinha do plano de saúde
Seguro viagem
Receitas médicas
Certificado de vacinas internacionais
Passaporte

ENTRETENIMENTO


Brinquedos para avião, restaurantes, carro e quarto
Livro de Adesivos
Livro de Colorir
Canetinhas/lápis de cor

OUTROS

Ruído branco
Repelente
Sabão líquido para roupas (leve um pouco num frasquinho para o caso de emergências)
Banheira (eu ensinaria seu filho a tomar banho de chuveiro para não precisar disso. O Theo toma banho de chuveiro desde que nasceu)
Bebê conforto (pode ser alugado junto com o carro)
Carrinho de bebê (foi mais útil nos aeroportos. Vale a pena avaliar a necessidade)
Sling (Vale a pena avaliar a necessidade principalmente se for para lugar de muito calor)
Sacos descartáveis para fraldas e roupas sujas
Trocador portátil
Bolsa impermeável (para usar na praia)


Quanto ao berço portátil, vale a pena ver se o hotel não pode disponibilizar. As cias áreas geralmente aceitam apenas 2 itens gratuitamente, tipo 1 carrinho e 1 bebê conforto. Nosso hotel não tinha berço, mas nos colocaram num quarto com uma cama de casal e uma cama de solteiro. Juntamos as duas contra uma parede, fizemos um cercadinho de almofadas e ele dormiu lindamente.

No post "Viagem com bebê - Itens para levar" eu fiz mais uma série de indicações de itens que achei que foram importantes. 


segunda-feira, 18 de outubro de 2021

Viagem com bebê - Itens para levar

        

Vou listar aqui as dicas que acabei recebendo e que descobri na prática de coisas importantes e que ajudam demais a gente na rotina com baby na praia/viagem.

Brinquedos de água

Aqueles copinhos de encaixar e brinquedinhos de borracha ou plástico são ótimos pra praia principalmente pois se caírem na areia são fáceis de lavar (se tiverem alças melhor ainda por que dá pra amarrar e não ficar caindo na areia o tempo todo).
No caso de crianças maiores, aqueles kits de baldinho e apetrechos é sucesso total. 

Prendedor de chupeta
Essa alça é ótima para amarrar em algum brinquedo e não ficar na nóia de ficar vigiando para não deixar cair na areia. Aqui não usamos chupeta então improvisei uma alça de uma bolsa. 


Brinquedos para avião/carro/restaurantes
Separe também brinquedos específicos para entreter no avião e no carro. Além de brinquedos, separamos uma garrafinha de água que foi sucesso para ele ficar mordendo (sim, Fischer Price que lute). Tem uns bem legais com ventosas (achei na Cia Toy) para pregar na cadeirinha ou mesa dos restaurantes.


Tenda e piscina
Acho válido levar para criança brincar quando não estiver no mar ou piscina do Beach Club (eu sinceramente achei que algumas ficavam sujas demais). Compramos a nossa no AliExpress e recomendo pedir com antecedência para ter uma folga no prazo de entrega. 

Compramos essa da foto nesse link aqui: https://a.aliexpress.com/_mPicd6R

Esteira de palha
Se tiver espaço pra mais parafernalhas, a esteira de palha é legal pra deixar ele um pouco no chão (só vivia nos colos). Até deixamos uma vez ou outra na canga mas o trampo era grande para ele não comer areia.

Borrifador de água
Caso vá para um lugar extremamente quente leve um borrifador para jogar água de vez em quando no baby e aliviar a sensação térmica (não precisamos fazer isso dessa vez).


 
Roupão/Poncho de praia

Não sei a razão mas os roupões de bebês são todos curtos, então a dica é levar umas 2 toalhas de piscina ou um poncho de praia (vi alguns na TipTop). 


Fralda de piscina

Levamos fraldas descartáveis de piscina e cabe dizer que as ecológicas também podem ser usadas. A partir do terceiro dia levamos ele sem fralda  para o mar e não tivemos incidentes. Compramos nossas fraldas da marca Happy Flute no AliExpress.


Remédios
Peça ao seu pediatra uma receita de farmácia básica para o bebê. Caso a viagem seja para o exterior, peça eventuais receitas de remédios que as exijam, tipo antibiótico.

Roupas com proteção UV
Leve várias peças pra o caso de alguma não secar para o dia seguinte (apesar do sol e calor nossas coisas não secavam fácil em Maragogi). Minha dica são as roupas da Miniboo que, além de terem um tecido muito confortável e leve (não irrita o bebê pra colocar e nem tirar quando molhada), tem proteção UV, são no formato de body ou romper (eu não gosto daquelas camisas normais que ficam subindo e deixando a barriga de fora), tem nas opções regata, manga curta ou manga longa, tem as estampas mais lindinhas ever, e o melhor, o preço é super ótimo.

Chapéu
Eu testei dois modelos de chapéu com proteção solar e indico aqueles tipo do Chaves que são maiores na nuca e que tem a aba mais firme (é importante porque quando molhar não vai ficar caindo no rosto). Eu gostei muito de um modelo que vi num baby lá na praia da loja Litoraneus (link aqui).



Protetor solar
Seguindo a recomendação de uma dermatologista, minha dica é comprar 2 tipos e mesclar o uso durante os dias. Um no formato de creme cuja composição tem elementos de proteção físicos e químicos (Mustela ou La Roche-Posay Anthelios) e outro no formato bastão que é bom para o rosto e tem elementos de proteção apenas físicos (Babyganics ou Neutrogena).
Obs: Opte sempre por produtos específicos para bebês/crianças. 

 

Lenços umidecidos
Como a rotina vai envolver sol, umidade e água salgada, opte em levar lenços com o menos potencial de alergia ou irritação para pele, ou seja, sem álcool e sem perfume. Sugestao: Bepantol ou Jonhsons amarelo. 


 

Óleo de côco 
Anoite passe todo dia o óleo de coco (cuidado: escolha o extra virgem 100% natural) para evitar assaduras. Como a gente espalha uma gotinha de nada, leve-o num potinho pequeno para facilitar a vida e economizar peso e espaço. Também usávamos durante as trocas durante o dia o Cicastela. 


Talco
Essa foi a melhor dica que recebi, usar talco para tirar areia da pele do baby. É muito incrível. Eu usava, além disso, para dar uma secada quando a gente saia da ducha antes de colocar roupas secas. Também usamos uma vez pra jogar em cima de um xixi que ele fez na cama. O talco "suga" o líquido do colchão que é uma beleza.

Sabão líquido

Eu levei um potinho com um pouco do sabão líquido que usamos para levar as roupas para o caso de acidentes de xixi/coco em que fosse bom dar uma lavadinha em alguma roupa na pia do banheiro. Teve saída.

Sabonete Líquido
Levei num recipiente tipo spray o sabonete líquido que usamos durante o banho diluído em água para usar durante os banhos nas duchas na praia. Toda vez que saíamos do mar, levávamos ele na ducha de água doce para colocar uma roupa seca. Enquanto o pai entrava com ele, eu ia borrifando e já dando uma lavadinha de leve pra tirar o sal.

Hidratante de pele
Além de usar na rotina noturna, sempre depois dos banhos na praia passávamos para evitar qualquer problema de pele. Na primeira vez que ele entrou ficou com umas marquinhas vermelhas que logo saíram e nunca mais apareceram. Dica: use produtos sem perfume, tipo Cetaphil. Usamos umas embalagens de bolso que foram bem práticas. 


Repelente
Apesar de não ter sido necessário usar nessa viagem, na bolsa, sempre levei o repelente da Granado que tem base de icaridina com duração de proteção por maior tempo.


Sacola de mercado reciclável
Leve uma dobrada na mala para usar na praia tanto para transportar a piscina, bóias ou brinquedos, como para levar no fim do dia as coisas molhadas.

Material de limpeza nasal
Não deixe de fazer a rotina da limpeza nasal, aqui usamos o combo soro fisiológico, seringa e nosefrida. 

Soro fisiológico 
Use tanto para limpeza nasal como para limpar o rosto em caso de problemas de água do mar no olho.

Ruído branco
Indico demais o ruído branco para usar no quarto, principalmente, porque o bebe vai dormir e vocês ainda estarão acordados arrumando as bolsas do dia seguinte, tomando banho, etc. Daí é só deixar a luz mais baixa, ligar o ruído branco e ele segue dormindo lindamente.  

Pessoas
Na medida do possível, com bebê de colo, eu achei importantíssimo levar mais pessoas na viagem para ajudar de alguma forma os pais. Mesmo não indo com essa pressão de ajudar, elas sempre dão uma super força nem que seja pra gente descansar os braços ou tirar uma soneca. Se der, faça viagens em grupo deixando claro que as pessoas estão livres pra seguir o roteiro caso você e o baby tenham que sair mais tarde do hotel ou sair mais cedo da praia. Cada bebê deve ser respeitado na sua paciência ou falta dela na viagem.

Outras infos:

- Levávamos o Theozinho no mar duas vezes ao dia, de manhã até as 10h e pouquinho, e depois das 16h;
- Ficávamos o dia todo na praia, ele amava tirar sonecas no colo do pai deitado nas redes;
- Como o Theo estava com 6 meses, e ainda em amamentação exclusiva, não nos preocupamos em levar nada de comida/bebidas pra ele.




Leia também: 
No carro
Dia a dia na praia
Volta da viagem

quarta-feira, 13 de outubro de 2021

Primeira viagem com bebê para praia - Dicas

 

Devido a todas as questões de saúde relacionadas ao covid e à maturidade corporal de um bebê, resolvemos levar o Theozinho pra conhecer o mar com 6 meses (levando em consideração a liberação de uso de protetor solar pela pediatra, desenvolvimento da coluna cervical, maturidade para aguentar o incômodo no ouvido nos voos, etc).

Escolhendo o destino
Essa parte não foi fácil pois listei uma série de pré-requisitos necessários para encontrar a praia quase perfeita. Meus principais critérios foram:

1. Capital com no máximo 2h de voo (sem conexões/escalas e dentro do Brasil);
2. Praia próxima do aeroporto/com logística simples (já sabia que as melhores praias não estão nas capitais então teria que fazer um percurso de carro);
3. Praia com temperatura mais quente (já sabia que seria no nordeste);
4. Praia com água clara/degradê (queria algo bem bonito e especial);
5. Praia sem muita alga, sujeira, histórico de água-viva, tubarão, etc;
6. Praia com hotel pé na areia para hospedagem;
7. Praia perto de outras legais pra poder variar durante os dias;
8. Praias com estrutura de comida e banho (pois a logística de um bebê exige no mínimo sombra e água doce a vontade);
9. Praia que não estivesse em período de chuva na época da viagem (foi no final de setembro e início de outubro);
10. Praia que não tivesse muito sal, vento forte e areia grudante (sim, detalhes de uma psicopata mas que na vida real fazem diferença);
11. Praia calma, sem ondas, no estilo piscina natural.

Enfim...não foi fácil! E depois de muita pesquisa decidimos ir para Alagoas e conhecer a região da Costa dos Corais. Ficamos no hotel Vila de Taipa em Japaratinga que está no meio entre São Miguel dos Milagres e Maragogi.

Posso dizer que acertamos em 98% dos itens, vou explicar: 

- Algumas poucas praias e em certas horas do dia tinha uma ou outra alga atazanando nossas pernas. Porém resolvemos a questão facilmente passando essa faixa de água;
- Apesar de nessa época não ter previsão de chuva, nos dois primeiros dias o clima variava muito entre sol e chuva, as vezes permanecia predominantemente com chuva.

Dica: cheque a tábua de marés da cidade que for visitar e selecione os dias que estiverem mais baixos. Nessa região, a maré baixa proporciona experiências maravilhosas de piscinas naturais. Combinando com o tempo ensolarado ainda rola uma degradê surreal no mar em praticamente todas as praias. Padrão Caribe assim como é conhecida a região ("Caribe Brasileiro").


Turquesômetro
Impressionante como essa região de Alagoas realmente é o Caribe Brasileiro. Eu fiquei pasma!

Em nível de coloração da água vou enumerar as praias com águas mais turquesas que vimos:
1. Ponta de Mague (Maragogi)
2. Antunes (Maragogi)
3. Barra Grande (Maragogi)
4. Praia da Lage (São Miguel dos Milagres)
5. Burgalhao (Maragogi)
6. Pontal do Boqueirão (Japaratinga)
7. Bitingui (Japaratinga) 

Nossa experiência

Optamos em Japaratinga pois é uma cidadezinha mais tranquila do que a turística Maragogi. Gostamos do mar e do hotel Vila de Taipa, principalmente da culinária (tinha até opções veganas), porém, eu hoje indicaria a hospedagem na praia Ponta de Mangue, umas das praias de Maragogi  principalmente pela qualidade do mar. Em segundo lugar, algo na Praia de Antunes, e em terceiro na Praia de Barra Grande. Tudo fica muito próximo então dá pra explorar bem a região (não repetimos nenhuma praia e nem fomos em tudo).


Dica de hoteis em cada praia que vi e estavam em ótimos pontos de praia (sem muvuca e com um mar lindo):

Ponta de Mangue: Grand Oca Maragogi
Antunes e Barra Grande: Rangai e Anttunina.

Obs: só indico em relação às suas localizações pois não me hospedei pra avaliar outros quesitos.

Escolhendo o hotel
Gostamos do Vila de Taipa pois as recomendações, principalmente em relação às comidas, eram ótimas. Eles tem o restaurante Cia da Lagosta que é aberto também a não hóspedes. Suas instalações são bem instagramaveis e os funcionários educados e solicitos. As duas gatinhas do hotel são uma atração a parte. O serviço, como todas as nossas experiências em outros restaurantes, é mais devagar e confuso. Parece ser uma característica de todos, inclusive em vários locais a taxa de 10% do serviço não vai para os funcionários. Antes de pagar a conta certifique-se disso e dê a gorjeta "por fora" aos garçons.

Resumindo, o hotel é bom, a comida é boa, e a praia também faz jus. Indico! Principalmente para casais e pra quem alugar, assim como nós, um carro pra rodar pela região.

Pra quem vai com bebês, não tinha berço, mas colocaram uma cama extra que juntamos e deu certo no final. Tinha uns gato pingado de crianças, mas claramente a predominância era de casais e grupos de amigos.

Eles estão finalizando um novo hotel em Maragogi, então de repente vale a pena dar uma olhada nele: Villa Pantai Maragogi (cuidado pra não confundir com o de São Miguel dos Milagres).

Onde ficar em cada praia

As dicas vão valer pra quem tem crianças/bebês ou não. Levamos em consideração os melhores pontos de praia, infraestrutura, cobrança de day use, aglomeração, facilidade de acesso/estacionamento.

Praia Pontal do Boqueirão
Restaurante Cia da Lagosta no Hotel Vila de Taipa (apenas consumação).

Praia de Bitingui
Barraca da Praia (apenas consumação).

Praia de Burgalhao
Beach Club Pontal do Maragogi (day use R$ 30 + consumação).
Dica: tem uma micro feirinha na praia.

Praia de Antunes
Marinheiros Beach (apenas consumação).

Praia Ponta de Mangue
Mão Divina Beach Club (apenas consumação)

Dica: Ali próximo tem uma espécie de mini Caminho de Moisés além de uma micro feirinha na praia.

Praia de Barra Grande
Barra Mar Beach Club (day use R$ 25 + consumação)

Ele fica em frente ao Caminho de Moisés (na maré baixa um grande caminho de areia se abre mar a adentro e dá pra caminhar por toda sua extensão. No meio do caminho tem jangadas vendendo comida e bebida, sorvete, cenários para fotos...é bem legal. Confira a tábua de marés pra saber o melhor horário de ir. Quanto mais próxima de maré 0.0, melhor), porém quando a maré sobe não fica nenhum ponto de praia acessível.

Outros que ficam ali ao lado e, se eu não me engano, tem ponto de praia: Araras Beach e Casa da Praia.

Praia da Lage
Restaurante Sonhos do Pataxo (day use R$ 10 + consumação)

Restaurantes
Sempre acabávamos nossos dias indo jantar em algum restaurante no centro de Maragogi ou no nosso hotel Vila de Taipa em Japaratinga, além dele destacamos o
Russo Bar que tinha opções veganas, sushi, carnes, massas, yakissoba, frutos do mar, fora o ambiente que é mara.

Na avenida principal de Maragogi tem uma diversidade bem democrática de restaurantes, bares, lanchonetes...com certeza vai achar algo por lá.

Lembre-se de perguntar se os 10% vão para os garçons, se não for, pague a gorjeta "por fora".

O que fazer além das praias

Croa de São Bento em Japaratinga
Piscinas Naturais em Japaratinga
Mirante de Japaratinga
Passeio de encontro com os Peixe Boi em São Miguel dos Milagres
Piscinas naturais em São Miguel dos Milagres
Passeio de bugre pelas praias de São Miguel dos Milagres
Piscinas naturais de Maragogi
Caminho de Moisés em Maragogi
Passeios de bugre pelas praias de Maragogi
Feirinha de artesanato na rua da praia no centro de Maragogi
Rua de restaurantes na rua da praia no centro de Maragogi

Como estávamos com baby decidimos não fazer nenhum passeio de barco. 


Leia também: 
No carro
Dia a dia na praia
Volta da viagem


terça-feira, 23 de fevereiro de 2021

Caso: Perdendo a escala da Copa Airlines no Panamá



Depois de todo transtorno que tivemos para chegar em Aruba saindo do Panamá, chegou a hora de encerrar a viagem voltando para Brasília, porém, tendo que novamente passar pelo mesmo caminho da ida.

Já fazendo trocentas orações para o nosso voo pra casa não ter overbooking, fomos surpreendidos por mais uma gracinha do destino. Estávamos no aeroporto de Aruba aguardando o embarque para o Panamá quando vimos uma movimentação estranha e recebemos a informação de que nosso avião apresentara um problema que estava sendo resolvido pela equipe de mecânicos. Até aí tudo bem, essas coisas acontecem. Nos deram uns vouchers de alimentação e todos do voo fomos para praça de alimentação. Depois de algumas horas, quando nos foi informado que o problema tinha sido resolvido percebemos que claramente perderíamos nossa escala para o Brasil.

Lá vem treta de novo! O avião decolou, chegamos no Panamá e lá estava aquela confusão generalizada de pessoas que também perderam suas escalas. Nossa batalha agora era para conseguirmos ser encaixados em algum voo para Brasília, mesmo tendo que ir primeiro para outras cidades, tipo Rio ou São Paulo, fazendo aquele quica quica dos diabos. A gente só queria chegar em casa.

A batalha foi perdida miseravelmente e nossa saída foi aceitar a proposta da Copa Airlines de ficar num hotel e pegar o voo do dia seguinte para Brasília. Depois de uma organização bem mal feita com todos os outros passageiros na mesma situação fomos transportados com nossas malas para o tal hotel.

Esse post é mais para dar o alerta do cuidado de marcar as férias e não usar os dias contadinhos pensando em estar livre dos imprevistos. Ainda bem que tínhamos esse "dia extra" na nossa agenda e não precisamos nos prejudicar no trabalho. Essa dica vale muito pra mim, a psicopata das férias que fica arrumando jeitinho pra fazer render sempre mais contando sempre com a sorte.

No fim das contas foi um mal que veio para o bem, pois ficamos no maravilhoso hotel Riu da Cidade do Panamá e no dia seguinte pudemos dar um rolé pela cidade, fomos conhecer o famoso Canal do Panamá e o Albrook Mall, um dos shoppings famosinhos pela decoração com animais e que lembra bastante o layout dos malls dos EUA. Para quem não sabe, o Panamá é conhecido como "paraíso das compras". Gostamos demais da cidade e ficou a vontade de voltar com mais calma e, além da capital, conhecer a região das praias que são beeem interessantes.


Dicas:
- Faça um seguro viagem;
- Deixe pelo o menos um dia de respiro na volta para casa pensando nos imprevistos que podem acontecer;
- Não gaste todo seu dinheiro, é bom voltar sempre com uma quantia para casa. Essa quantia pode te salvar em algum imprevisto;
- Tenha internet;
- Esteja aberto aos imprevistos porque o que poderia ser uma experiência totalmente ruim, pode se revelar uma boa surpresa.


quinta-feira, 4 de fevereiro de 2021

Caso: Cadê minha mala em Aruba?

                                                          Da Série: Cuidado na Estrada!



Já não bastava todo perrengue para gente chegar em Aruba (leia aqui), assim que desembarcamos aconteceu aquilo que a gente mais teme na frente da esteira de bagagem: minha mala não veio! Obviamente na bagunça generalizada que a Copa Airlines fez no aeroporto, como entramos no avião nos 47 min do segundo tempo, eles não acharam minha mala para socar ela no porão do avião. Sim porque além do nosso pânico em conseguir uma poltrona no avião, levar a mala junto já seria sorte demais...(ainda por cima tendo que estabelecer os diálogos em espanhol). 

Cheguei em pleno verão caribenho sem nada compatível com esse clima para usar. Eu cometi o leve vacilo de não obedecer as dicas básicas que dizem para deixar na mala de mão algumas coisas de emergência caso você seja o felizardo sem malas do rolê. Uma hora ia dar merda né...

Ainda no aeroporto, fomos até o balcão da cia aérea para reportar a ocorrência. Me disseram que a mala viria no voo do dia seguinte. Foi uma luta explicar ao rapaz a cor da mala (vinho), então fica a dica de tirar fotos das malas e tê-las no celular. Eles combinaram de deixar a mala no meu hotel. A partir dali, partiu Caribe!

Nos acomodamos no hotel e praia já estava nos chamando que nem um canto de sereia. Como a única coisa que eu tinha para improvisar era uma echarpe que virou canga, perdemos tempo indo atrás de todo resto: chinelo, biquíni, escova de cabelo, protetor solar, escova de dente, pasta, case e líquido da lente de contato, short e blusa. Detalhe: a moeda mais utilizada em Aruba é o dólar, então tivemos que nos submeter aos preços (mesmo dando uma leve pesquisada no amplo comércio que graças ao Senhor tinha nos arredores do hotel). 

A "sorte" foi ter feito o seguro viagem, que além de outras coisas, cobria esses problemas de malas. Eu sempre faço o seguro com aquele sentimento de não querer usar nunca porque eu sei o trampo que acaba sendo. Pensando no reembolso, paguei as coisas todas no cartão de crédito e a dica é pegar todas as notas ficais que vão entrar no processo de reembolso. Geralmente existe um limite de gasto para esse reembolso e regras mínimas do que são itens de primeira necessidade, depende do plano que você fechar.

Resumindo, já no Brasil abri o processo do seguro e no fim das contas eles não aceitaram algumas das notas fiscais "porque não estavam com detalhamento suficiente", e acabaram me reembolsando apenas uma parte dos gastos. Ok, vida que segue neam...


Dicas:
- Tire fotos das malas fechadas e abertas sempre que for viajar;
- Não se esqueça de colocar seus dados e contatos nas malas (principalmente o email e o seu whatsapp com todos aqueles números internacionais (Ex: +55 61....);
- Coloque junto com seus dados o nome do hotel que você irá se hospedar (não esquece de tirar essa informação quando for para outra viagem);
- Misture as coisas nas malas, tipo coloque coisas suas na mala do marido e vice e versa;
- Coloque na mala de mão algumas mudas e itens de primeira necessidade para o caso de ter problemas com a mala embarcada;
- Faça um seguro viagem.

Primeira viagem de avião com bebê

E lá fomos nós pegar o avião para chegar na praia (fomos para Maragogi-AL). Confesso que fiquei muito apreensiva pois as minhas experiências...