Parques Temáticos: as novas atrações de Orlando



Eu canso de dizer que: “Não, não enjôo de ir aos parques de Orlando e região”. Não teve uma vez sequer que fui até à Florida e não passei uns gloriosos dias por lá pagando caro nos ingressos e perdendo um dia inteiro em cada um deles.

Tem gente muito mais viciada, tipo meus primos que moram por aquelas bandas têm ingressos anuais e vira-e-mexe estão em Orlando. Não sei explicar esse entusiasmo, pode ser que seja de família, sei lá. O importante é que todos já temos o mapa mental dos parques e sabemos no automático onde ir (a quantidade de vezes ainda é um problema sério).

Para agradar pessoas como nós, os parques estão em constante transformação. Encerram uma atração de anos (por exemplo o Tubarão, De volta para o Futuro, King Kong, as casas da Turma do Mickey...etc), reformulam e mantém alguns brinquedos (por exemplo Terremoto e o Rhino Rally) e, por fim, constróem áreas novas para o martírio dos nossos pezinhos (como a Harry Potter Zone e a Fantasyland no parque Magic Kingdom).

Também não posso esquecer de falar das novas atrações dos parques que encontrei esse ano. Tem muita novidade desde a minha última ida e valem, com certeza, a digitação no blog, tais como:

O novo show final do Magic Kingdom, o Wishes, está bem melhorado – como se fosse possível – com efeitos de lazers e projeções no castelo.

Castelo de Hogwards
No Island of Adventure, tem a nova área muito bem construída e decorada do Harry Potter, o The Wizarding World of Harry Potter. Fizeram o Castelo de Hogwards e a vila com todas as lojas idênticas às do filme. Existem apresentações de tempo em tempo nas ruas, as filas para entrar nas lojas são quilométricas (principalmente na que vende varinhas). O mais bacana é a atração que fizeram dentro do castelo, é um simulador 3D no estilo do brinquedo do Homem-aranha, no mesmo parque. É uma produção muito competente e você sai deslumbrado com o nível do brinquedo. Mega produção, coisa de primeiro mundo. Vale a pena pegar a fila!

Na Universal Studios, eles reformularam a atração Terremoto. Agora é um misto de show com brinquedo. A plateia participa da produção e tem coisas bem hilárias. Vale a pena.

Rock it!
Também na Universal, para animar o público mais jovem, inauguraram a montanha-russa “Rock it” que tem a subida mais inclinada que já vi na vida, o cinto de segurança é bem estranho e conta com a ajuda da força da gravidade (você encara os loopings preso apenas pela cintura). Mas o diferencial, além do looping parafusado, é o iPod pessoal no qual você escolhe que música vai embalar sua corrida. Eu escolhi, entre outras, duas que achei bem pertinentes: “I will survive” e “Bring me to life”. A dica é ir no carrinho da frente, nos outros, por conta velocidade, ela fica bastante instável, sacode muito e você sai com o cérebro deslocado do lugar.

Já na Meca Bush Gardens, inauguraram a montanha-russa “Cheetah Hunt”. Uma super montanha sem looping que coloca a velocidade em questão. Os cintos também são todos adaptados para que você fique mais “livre” na atração e tenha sensações diferenciadas. A cabeça tem sempre que ficar encostada no encosto (é o que dizem nos letreiros de segurança).  Show de bola!

Cheetah Hunt



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Zoo Luján de Buenos Aires: a pior coisa para se fazer na vida

Balada em Punta del Este, no Uruguai

Balada em Cartagena de Índias, na Colômbia