Mais bagagem!!!!




Malas! Aqui estou eu outra vez para tratar desse assunto. Eu e minhas histórias com as malas. Nessa última viagem, na verdade prefiro falar “na mais recente viagem”, levei mais coisa do que realmente precisei/usei, fiquei com raiva de mim mesma por conta disso (como sempre) mas percebi que levei muito menos “peso desnecessário” do que antigamente, noto uma grata evolução.

Enquanto eu pensava que o meu maior vacilo era carregar roupas em excesso, na véspera de viajar para Nova Iorque minha prima me dá a triste e golpeante notícia: “Aline, para embarcar malas grandes temos que pagar. Só temos direito a uma mala de mão”. O queeee? Que história é essa? Nada disso! Iamos voar de Continental Airlines e American Airlines, e pelo que sei elas não são empresas low cost...Pois é, eu descobri horas depois que em questão de passagem são empresas “normais” (compramos passagens com tarifas bem normais, não custaram 30 dolares), mas em questão de malas, são grandes cias low cost que só permitem bagagem de mão e cobram cerca de 80 doletas por cada mala que você quiser embarcar. Ai que ódio! A Malu ligou lá do Brasil para as duas cias e confirmou esse detalhezinho, coisa que eles nunca citaram na compra da passagem ou no bilhete eletrônico. Olha, descobrir isso prestes a voar para Apple City não foi muito legal. Ainda tem gente que reclama do Brasil, já pensou se a Tam cobrasse por cada mala sua numa viagem até Fortaleza?

Pois bem, estávamos de férias e o jeito foi encarar tuuudo numa boa sem estressar...aham, o jeito foi socar tudo que eu precisava numa malinha que era menor que minha bolsa do dia-a-dia. Como íamos pegar um frio daqueles, foi menos mal. Consegui selecionar as roupas que realmente iam ser imprescindíveis. Na verdade o problema nem foi esse, foi a tal restrição de líquidos nas bagagens de mão....Oh God! Lá fomos nós comprar tudo na quantidade micro: líquido da lente, desodorante, pasta, creme...tudo dentro da restrição de 70 ml e devidamente ensacados no ziplock. Deu tudo certo, até porque não tava afim de ir fazer compras por lá.

Mas nem só de problemas malísticos se vive uma viagem...olha que interessante, depois de todos os tipos de perregues que já passei com malas aconteceu algo muito bom. Na volta para o Brasil no vôo da Tam Miami-Brasília (sem escalas), por ter o cartão fidelizade azul, tinha direito a uma mala extra. A dúvida era se a mala extra deveria ter o peso normal de (32 kg) ou apenas 12 kg (como dizia no site). Depois de muita dúvida, disse-me-disse, e desepero por ter que pagar um potencial excesso de peso nas outras, eu precisava falar com alguém da cia. Encomendei a tarefa para a super Núbia que em minutos ligou na Tam do Brasil e me confirmou a mala extra com 12 kg apenas. Ainda chateada com a mísera notícia, liguei na Tam de Miami e falei com uma atendente que me aliviou dizendo que eu poderia sim levar uma mala amais de 32 kg. Aiaiaia...notícia mais linda da semana!

E deu tudo certo! Ah, só pra finalizar eu chego no aeroporto de Brasília e eles demoram 50 anos pra colocar as malas na esteira, e as minhas foram quase as últimas...ainda vivi aquele desepero de ver todo mundo catanto sua bagagem e eu ficando por úlimo, chorando por uma mala extraviada. Meu maior medo no mundo. Como eu disse, deu tudo certo...nem alfândega teve graças à nova legislação que entrou em vigor no dia 1° de janeiro (quem estiver dentro da cota de U$ 500 não precisa mais preencher o formulário de declaração de bens e dessa forma se manda bem mais rápido do aeroporto).

Maluzete e Nubioka, as correspondentes do Brasil. Muito obrigada pela ajuda!!!

Comentários

  1. AÊÊÊ!! Demorou mas chegou algum post!!
    Estava curiosa! kkk
    Olhava todo dia e nada!!
    Que bom que voltou com as novas..
    Bjão

    ResponderExcluir
  2. hehehe...foi maaaal!!! mas é que nao deu tempo, vou recuperar o tempo perdido com muita coisa nova! beijuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Zoo Luján de Buenos Aires: a pior coisa para se fazer na vida

Balada em Punta del Este, no Uruguai

Balada em Cartagena de Índias, na Colômbia