Procura-se uma técnica!




Técnica, tudo que preciso é desenvolver uma técnica para viajar de avião. Tá pra nascer uma pessoa que passe tantos maus bocados naquelas benditas horas dentro de uma aeronave/ônibus/trem/etc. Eu já fiz de tudo para desenvolver uma técnica eficiente para, principalmente, conseguir dormir. Já pesquisei em sites e até já optei pelo método da "observação do vizinho”, nada resolveu e ainda fiquei mais brava em ver pessoas dormindo como anjos e tendo lindos sonhos enquanto eu estava ali completamente torta, caindo de sono e com calos nos dedos de tanto apertar todos aqueles botõezinhos que estavam ao meu alcance.

Já dei muita sorte, tipo viajar sozinha naquelas duas ou seis poltronas, mas nem sempre as tarifas de passagens são tão altas assim e os vôos acabam saindo abarrotados de gente e crianças. Eis algumas situações que me perseguem:

Poltrona
- Não precisa medir 2 metros de altura para se sentir mal naquelas cadeiras que não te cabem sentado que nem um ser humano normal. Meu joelho custa entrar e de vez em quando preciso trocar de posição pois não sinto mais nada da cintura pra baixo (existem casos reais de trombose por isso você deve se levantar de vez em quando e evitar roupas apertadas). 

- Como lidar com aquela inclinação negativa dos encostos? 

- Eu aconselho vôos noturnos que passam mais rápido e você ganha tempo para aproveitar a viagem, mas dormir às vezes é complicado. Eu praticamente saio do avião direto para uma seção de RPG de tanto malabarismo vertebral que acabo fazendo. 

- A dica é sentar no corredor se você tiver pernas longas e tiver incontinência urinária, sentar na janela se você não consegue dormir sentado sem se apoiar, sentar na primeira fila que te dá mais espaço e não sentar na saída de emergência porque as cadeiras não inclinam e em casos de emergência você será responsável por todas aquelas vidas. 

Passageiros
- Algumas coisas são desnecessárias (eu sou super de boa e não sou muito de me importar) e incomodam muita gente tipo aquela pessoa que fica o tempo inteiro mexendo nas bagagens de mão, aquela pessoa que senta do seu lado e começa a roncar (geralmente o bafo vem de brinde), aquela pessoa que não pára de falar um segundo sequer, aquelas pessoas que espremem quem está sentado no meio, aquela pessoa que no procedimento de aterrizagem já está de pé no corredor para ir embora, aquela pessoa que reclama da comida, do voo, do celular desligado e da pressão da cabine e aquela pessoa que bate palma quando o piloto pousa o avião. 

Crianças
- Eu descobri uma coisa: eu amo crianças aqui na terra. Lá no céu eu tenho pavor! Elas me perseguem, sempre tem um ser iluminado (com pais sem discernimento) bicando meu encosto, cantando o voo interirinho (“Fui à feira comprar mamão e a formiguinha subiu na minha mão, eu sacudi, sacudi, sacudi...” - com todas as partes do organismo), fora as mães desnaturadas que viajam com crianças com horas de vida, elas logicamente sentem muitas dores por conta da pressão e choram quem nem bezerros desmamados (eu morro de pena e fico muito "pê" da vida com essa maldade). Meu sonho é...leia aqui

Eu tenho cada vez mais tentado desenvolver subterfúgios para essas questões práticas do dia-a-dia aeroviário, um dia vou poder reduzir certos perrengues pagando uma passagem de segunda ou primeira classe (uma boa saída). Se você possui programas de milhagens nas companhias aéreas sempre consulte a quantidade de milhas exigidas para compra de bilhetes em classes superiores, ultimamente tem valido muito a pena esses upgrades de classe. Mas enquanto isso, eu aciono o módulo “férias” na minha cabeça e é só alegria...sorte das crianças que não podemos abrir a janela. 

Comentários

  1. Ri demais: "aquela pessoa que bate palma quando o piloto pousa o avião." hahahahhahahahahahahha

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Zoo Luján de Buenos Aires: a pior coisa para se fazer na vida

Balada em Punta del Este, no Uruguai

Balada em Cartagena de Índias, na Colômbia