Dicas para poupar dinheiro

Hotel "em conta"


Dar dicas de economia em viagem não é tarefa muito fácil. Cada um tem seu estilo e suas prioridades no usufruto do dinheiro. A melhor coisa é definir o motivo da viagem e analisar as características do destino, vale a pena se perder nas lojas? O câmbio compensa? Tem alguma novidade que merece ser comprada?

Independente do lugar é bacana gastar uma graninha num citytour ou passeio num ônibus de linha que faça esse circuito “turista” (comumente encontrado em várias cidades) que são baratos e geralmente duram poucas horas e no segundo caso, minutos. Pesquise preços (na medida do possível) nas lojas dentro da cidade e no free shop do aeroporto. 

Antes de gastar dinheiro comprando um livro-guia numa lojinha de souvenir, peça ao recepcionista o guia da cidade que provavelmente o hotel fornece com o mapa urbano, do metrô e das linhas de ônibus. Faça também uma varredura no saguão do hotel naqueles panfletos de propaganda de lugares e passeios, sempre tem um guia bacana com todos os mapas utéis e o melhor, são de graça. 

Na hora de comprar comida observe o tamanho dos pratos e porções, de repente vai compensar dividir com teu colega e depois rachar a conta no meio. Mas tome cuidado porque apesar das porções serem bem fartas, geralmente são individuais e caso você esteja num restaurante, e não num quiosque ou shopping, pedir um prato para duas pessoas é falta de educação. Com o refrigerante refil, funciona da mesma forma, cada um pede o seu, nada de dividir um copo com uma mesa inteira de 6 pessoas, pelo amorrr...

Ande o mínimo possível de taxi, dê preferência ao metrô e ônibus. E verifique se não existe algum incentivo de compra de bilhetes em grande quantidade. Pode ser que valha a pena comprar muitos por um preço unitário menor. Da mesma forma funciona para a visitação em pontos turísticos, existem alguns tipos de “passaportes” que te dão acesso a vários locais num determinado número de dias e sem pegar fila, como em Paris e Nova Iorque, por exemplo. 

Não faça ligações e uso de internet no serviço pago do hotel, pelas ruas procure as lan house ou casas de telefonia que te dão acesso e ligações infinitamente mais baratos. 

Essas foram algumas das minhas humildes dicas, mas se você é um muquirana-extreme, além de não me convidar para viajar, dê uma olhada nas dicas do Impostor:


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Zoo Luján de Buenos Aires: a pior coisa para se fazer na vida

Balada em Punta del Este, no Uruguai

Balada em Cartagena de Índias, na Colômbia