terça-feira, 28 de janeiro de 2020

Natal em Nova Iorque: onde ir e o que fazer? (Parte 1)



O natal de 2019 passamos de uma forma completamente diferente dos outros anos: por conta do sonho do meu maravilhoso marido, decidimos ir para Nova Iorque. Sim, nossos pais não gostaram muito da ideia de ficarmos longe, mas confesso que foi uma experiência incrível. 

E teve mais, já que estaríamos nos EUA para o Natal, resolvemos passar logo o ano novo por lá também. Uma coisa levou à outra, e aí fomos festejar o reveillón em Las Vegas

A primeira coisa que fizemos foi comprar as passagens (tipo em janeiro), depois convencemos o Casal Net a ir junto, e a seguir reservamos hoteis, shows, transfer etc. Sim, organizamos uma viagem com 12 meses de antecedência...e o que eu te indico é fazer esse tipo de psicopatia quando seu destino for muito visado, e principalmente, numa data tão especial. Eu já estive em NY no ano novo também, e não sei dizer qual época achei mais lotada. 

Aéreos
Como eu disse, em janeiro compramos as passagens pela América Airlines, compramos na opção de múltiplos destinos para ter uma grande vantagem: não precisar pagar pelas malas no voo interno de NY para Las Vegas (sim, as malas são sempre compradas à parte nos Estados Unidos). Selecionamos todos os trechos numa compra só e deu tudo certo. Aliás, vale ressaltar que essa cia área dá direito a 2 malas de 23kg para despachar, mais um item e uma mala de mão (apenas com tamanho definido). 

A divisão do itinerário foi bem simples, do dia 20 ao 28/12 em Nova Iorque, e do dia 28/12 a 04/01 em Las Vegas, sendo que na volta ainda ficamos umas 6 horas em Miami (demos até uma aproveitadinha. Leia aqui). 

Quando compramos os bilhetes, nossos voos de volta estavam bem ruins, fazendo 2 paradas. Porém a cia aérea fez umas alterações e com isso, por sorte, conseguimos sem custo organizar tudo. No atendimento telefônico, a atendente conseguiu colocar todo mundo no mesmo voo de retorno e apenas com uma parada em Miami antes de ir para Brasília. 

Dica: se você tiver alguma restrição alimentar, pelo o menos 48h antes do voo, ligue para cia aérea e peça uma adequação na comida que será servida (para veganos dá sempre certo). 

Malas
Consideramos levar a quantidade de malas que tínhamos direito pela cia aérea (4 pessoas = 8 malas grandes + 4 de mão). A estratégia, considerando minha experiência "Miâmica", foi levar todas as malas possíveis (mesmo que vazias) para o caso de serem necessárias lá. Todas as vezes que não levei malas que à primeira vista eram exagero, me dei mal, e tive que comprar malas novas. A cotação do dólar não ajudou muito, então algumas malas tiveram que voltar vazias. 

Transfer
Levando em consideração o número de malas envolvidas nessa viagem, não tinha como apelarmos para o metrôzão, nem táxis e muito menos ubers. Contratamos uma van compartilhada no We Plann para nos pegar no aeroporto JFK e depois nos levar de volta para embarcarmos para Vegas. Deu tudo certo tanto na ida quanto na volta (não esqueça de dar U$ 1 de gorjeta por bagagem), só na chegada que tivemos que esperar muito pelo motorista e foi muito chato para nossa ansiedade. 

Hospedagem
Esse item, apesar da antecedência, não foi dos mais fáceis por conta dos valores de hospedagem nessa época. Olhamos de tudo, de hoteis mais baratinhos a hostels. E juntando o combo do custo-benefício do valor x localização, escolhemos o Hotel Pennsylvania (no Garment District), hotel que já tinha ficado na outra vez que estive na cidade e que já conhecia os prós e contras. Pró: localização na 7th avenida (no coração da cidade); Contra: o hotel está em reforma e ainda tem uns quartos antigos. Reservamos pelo Booking e pagamos o restante da reserva no check-in. Em frente a ele está o Madison Square Garden, a estação Penn Station, a praça de alimentação The Pennsy Food Hall, ao lado a maior loja Macys do Mundo e um supermercado Target, atrás o shopping Manhattan Plaza e a Herald Plaza.

Do grupo, apenas eu já conhecia a cidade, então a localização priorizou os programas turísticos raiz. Caso você já tenha ido a NY, sugiro escolher uma hospedagem nos bairros: Midtown East, Midtown  West, Chelsea ou West Village. Lembrando que o metrô funciona muito bem, então qualquer lugar perto dele vai dar bom. Dicas de como usar o confusinho metrô de NY aqui.

Passes e Cartões 
Depois do roteiro montado, percebemos que a viagem teria 80% de deslocamento a pé e o restante de metrô. Contando minimamente o número de vezes que usaríamos o metrô, nos certificamos de que valeria mais a pena comprarmos o Metrô Card de 7 dias ilimitados. Ele é individual e pode ser comprado em qualquer estação de metrô (cuidado: só pode usar no intervalo de 15 min). Dica: use o metrô com auxílio do Google Maps pois ele é bem confuso...uma entrada errada e você tá perdido!

Se você está com um roteiro extenso e, como a gente, ficou preocupado com o desenvolvimento da viagem em virtude de filas e distâncias, considere comprar o cartão e abusar muito do metrô para ganhar tempo. No nosso caso, ainda tinha o quesito da temperatura. Usamos muito o metrô nos casos de dor no pé e frio extremo. 

Para as atrações, compramos o Sightseeing Flex Pass no site Vou Pra, que dava direito à entrada grátis em 7 atrações e com menor fila. Usamos para: 1. Observatório One World (o mais caro de todos), 2. Top of the Rock  no Rockefeller Center (fila tranquila), 3. Memorial e Museu 9/11 (muita fila), 4. MET (fila tranquila), 5. MoMa (fila tranquila), 6. Guggenheim (fila tranquila), 7. Estátua da Liberdade (muita fila). No Museu de História Natural pagamos o valor solidário, que você paga o quanto quiser, de U$ 1 por pessoa. Retiramos nossos cartões no Port Authority Bus Terminal.

Compras
Como nossa viagem seria nas duas cidades, constatamos que em 2019 a taxa de imposto de Las Vegas (8,1%) era menor que a de NY (8,87%) e deixamos para visitarmos o outlet lá na Sin City. Em NY compramos apenas alguns itens de frio na Uniqlo e só...aliás, eu e Math caímos na bobeira de ir na Disney Store e M&M World na Times Square. Ah...também comprei umas maquiagens na Kiko - a melhor loja de makeup que me apaixonei na Europa, e na loja B&H Photo Vídeo compramos alguns eletrônicos. Depois disso, focamos na alimentação e atrações. Bom pesquisar esse tipo de coisa quando for aos EUA e for passar por diferentes estados. 

Clima
Diferentemente do que é mostrado no cinema, na semana do Natal e Reveillón, existe a possibilidade de nevar, mas não é algo muito certo e preciso. Dessa vez não nevou (e nem no meu ano novo de 2012). Porém a temperatura estava bem baixa, tipo com mínimas de 0 a 3º e máximas de 12º a 15º. Parece tranquilo, mas considere que estará andando pela cidade em que o sol não penetra nas ruas em praticamente nenhuma hora do dia (só em alguns cruzamentos em ruas mais largas). 

Alimentação
Nosso maior desafio foi alimentar diariamente o nosso grupinho do enjôo: um celíaco, um vegano, uma paladar infantil e uma café-com-leite (que comia de tudo). 

A dica é baixar o app Happy Cow que mostra opções de lugares veganos e gluten free. Para paladar infantil não tem jeito, tem que ficar na porta dos restaurantes e ver se sai alguma criança. 

O app salvou nossa vida, deu tudo certo, inclusive as melhores refeições foram feitas nos restaurantes veganos. Vale dizer que NY e Las Vegas estão super preparados para esse público (amém!). 

Dica de café da manhã: Pret a Manger e Lanwich (mais barato e gostoso ever). 
Dica de cupcake: Sprinkles.
Dica de Macarrons: Woops! (no Port Authority Bus Terminal).
Dica de paraíso Vegano: Veggie Grill.

Broadway, NBA e show de Natal 
Com muito custo, visto a quantidade de opções de peças, conseguimos chegar num consenso sobre os shows da Broadway que iríamos assistir. Optamos pelos clássicos O Rei Leão (tente ficar o mais centralizado possível) e O Fantasma da Ópera (tente ficar no primeiro ou segundo andar do teatro). Compramos os ingressos também no site da Vou Pra. Super indicamos os dois. Só não compramos mais dias por conta da cotação do dólar mesmo (cada show não saiu por menos de U$ 100). 

Nosso hotel fica exatamente em frente ao Madison Square Garden, e aí não pudemos deixar de comprar ingressos para assistir um jogo da NBA. Compramos o jogo do New York Knicks contra Washington Wizards (não se esqueça de retirar os ingressos e chegar cedo pois a fila pra entrar fica gigante). A experiência é muito válida, mesmo para você que não curte/entende de basquete, porque os americanos sabem fazer eventos, e o jogo é só mais uma das atrações.

Para o dia 24/12, resolvemos comprar ingressos para assistir ao show de natal "Christmas Spectacular", no Radio City Music Hall, que contou a história do natal em meio a muita música, dança e efeitos especiais. Eu amei! Vale muito a pena.

Chegue sempre um pouco antes em cada um dos teatros para trocar os vouchers pelos ingressos.

Feiras, lojas e decoração de Natal
Dentre todas as coisas mais gostosas de Nova Iorque nesse período de Natal, acredito que a decoração natalina das ruas e prédios adicionado às feirinhas temporárias de natal sejam a cereja do bolo. Não tem como não entrar no clima e ficar encantado com todas as luzes e brilhos.

Nem sei dizer quais são os melhores lugares no quesito "decoração", mas com certeza as 5ª e 6ª avenidas dão um show a parte, principalmente nos arredores do Rockefeller Center (que por si só é um show a parte). Vale muito a pena caminhar muito por ali (comece desde a Macys até o Central Park). Outro ponto que tem até uma árvore de natal, é o Financial District, em frente ao Federal Hall.

Quanto às feirinhas de natal, eu não sei nem como explicar como são charmosas e gostosas. É um misto de feirinha de artesanato com comidas...é como se a gente embarcasse para uma feira de cidade pequena, até nos esquecemos que estamos no coração de NY. Passamos por várias, mas vale ressaltar as do Park Bryant (a melhor ever), da Grand Central Station, a que fica em frente ao Columbus Circle (no Central Park) e da 6ª Av.

Nessa pegada ainda tem umas lojas temporárias só com enfeites e itens de natal "It's Always Christmas New York", não vou colocar os endereços específicos (nem no maps eu achei), mas nem se preocupe que com certeza você passará por alguma (prepare o bolso). 

Pistas de patinação no gelo
Quanto às pistas de patinação, além do famoso rink do Central Park (fila grande que anda e o maior de todos) e do Rockefeller Center (mais lotado), você pode patinar no Bryant Park (mais infantil) e no shopping Brookfield Place (mais infantil) no Financial District.

Dica: não sei como é nas outras pistas, mas no Central Park leve seu cadeado e use o locker para guardar seus pertences sem precisar pagar. O mais legal é que você paga um valor e pode patinar pelo tempo que seus pés aguentarem. E quem tiver patins próprio também se livra de pagar pelo aluguel de um.

Seguro Viagem
Compramos o seguro viagem pela Real Seguro e, graças a Deus, não precisamos acioná-lo. Gosto dele pois tem um preço acessível e mostra uma série de opções variando os valores e itens inclusos.  

Alfândega
Com todos aqueles volumes de bagagem, estávamos certos de que seríamos parados na reentrada no Brasil, visto que recentemente eu e o Math voltamos de Orlando em condições parecidas e fomos convidados a passar nossas coisas pelo raio-x. Porém, para o nosso espanto, nem fomos parados.

Vou fechar o post com chave de ouro: na véspera de natal, depois do show que compramos no Radio City Music Hall, não teríamos nada para fazer. No Brasil todos estariam fazendo a tradicional celebração, mas nos EUA o natal é comemorado no almoço do dia 25/12, então, por sorte, uma moça nos ofereceu ajuda na rua para achar um ponto de interesse, e numa conversa estendida perguntei a ela o que poderíamos fazer na noite do dia 24/12. Ela nos sugeriu ir a alguma igreja para assistir algum coral de natal. A ideia foi perfeita! Como iríamos sair do Radio City, jantamos no Bills Bar & Burguer e fomos até a Catedral St. Patrick, que fica praticamente no final da rua, para conferir a programação. Infelizmente, estava fechada. Dali seguimos pela 5ª Avenida até a igreja Saint Thomas Church que abriria à meia-noite. Saimos do restaurante direto pra lá, e ficamos na fila que foi se formando pelo quarteirão. Entramos e escutamos o famoso coral de homens e meninos de Saint Thomas. Foi lindo! Fica a dica!




New York - Estados Unidos 
Viagem: 2011 (dezembro), 2019 (dezembro).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Como escolher seu hotel em Las Vegas

Sempre ouvi dizer que a hospedagem em Las Vegas é um item muito fácil de resolver, porque são muitas opções e, portanto, acaba sendo ...