Dresden, na Alemanha

Rio Elba

Dresden, conhecida como a “Florença do rio Elba”, entrou no roteiro por indicações e basicamente pela beleza da cidade. Conheci dois alemães e um deles disse que eu iria adorar porque era um destino fantástico de compras e o outro me disse apenas: “Eu odeio aquela cidade!”. Bom, seguimos mais uma estação e fomos para lá. 

Eu já gostei da localização do nosso hotel, era de frente com uma das ruas principais. Chegamos, dormimos um pouco e saímos para a exploração. Realmente é a cidade das compras! Muitos e muitos shoppings, muito bacana! Nos jogamos feio (ou bonito) nas compras já que fizemos a parte turística bem rapidinho (não tem muita coisa). Lá descobrimos que nossa “família” de viagem teria que crescer, ou seja, mais malas se juntariam à nossa jornada.

Dresden é conhecida principalmente pelo bombardeio em 1945 que a destruiu quase que inteiramente, inclusive foi até controverso pois era considerada uma cidade sem relevância militar. É impressionante andar por suas ruas e saber que todas aquelas construções e monumentos foram todos reconstruídos. A cidade realmente é linda e eu indico uma visita no verão quando está toda florida e verdinha.

Os principais pontos turísticos estão às margens do rio Elba, no verão vira uma espécie de praia, o pessoal toma sol, joga vôlei e toma aquela cervejinha. Passamos pela Frauenkirche (igreja símbolo da cidade), pelo palácio Residenzschloss, o Zwinger (um dos edifícios barrocos mais impressionantes da Europa) e pelo Ópera Semper (uma das casas de ópera mais belas do mundo). Depois atravessamos uma das pontes sobre o Elba e conhecemos outra parte da cidade que era mais bucólica e romântica.

O agito noturno foi bem fraco, não conseguimos descobrir nada pra fazer. Até fizemos alguns esforços para não perder a noite como usar GPS, pesquisar na internet, fazer amigos e seguir jovens nas ruas, mas infelizmente nada com sucesso. Entretanto, quase sem querer vimos um prédio bem diferente ali bem próximo ao nosso hotel e várias pessoas indo na direção dele, fomos lá dar aquele “confere” e para minha sorte era um cinema. Sem titubear compramos ingressos para assistir o Nicolas Cage falar em alemão em 3D (e ainda pagamos meia com nossas carteirinhas estudantis do Brasil).

Se tiver um tempinho e quiser fugir do frio dê uma olhada nesse programa que pode ser uma ótima opção: Tropical Islands. 

Dresden também foi palco de um dos perrengues mais históricos da minha carreira de turista...lá na estação de trem que eu e minha prima não esqueceremos jamais. Leia aqui o relato disso

Dresden - Alemanha       Viagem: 2011 (março).

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Zoo Luján de Buenos Aires: a pior coisa para se fazer na vida

Balada em Punta del Este, no Uruguai

Balada em Cartagena de Índias, na Colômbia