Vistos

"you lose!"


Antes de sair marcando viagens de última hora pesquise um pouco sobre as questões burocráticas de entrada no país que você pretende visitar. O Brasil já tem uma relação de parceria (papel do Ministério das Relações Exteriores) com diversos países que liberam a nossa entrada sem tanta dificuldade que é o caso da Rússia, dos países do Mercosul, da Nova Zelândia e outros mais que não me vêem à cabeça. Porém, como nem tudo são flores, alguns lugares mantém a política da “protecionista vizinhança” e não abrem mão de uma análise detalhada da vida do sujeito que cogita entrar em sua jurisdição. É o caso, por exemplo, da Inglaterra (feito no próprio aeroporto), Canadá, Austrália e Estados Unidos.

Como eu já citei, alguns vistos são feitos no aeroporto da cidade depois do desembarque como no Reino Unido e Moçambique. Isso não significa que seja uma conquista mais fácil. Todos passam pela imigração e o agente faz uma pequena entrevista com todos, se ele julgar procedente sua história, você entra. Eu acho pior, porque você já gastou com passagem, hospedagem e tudo mais, e dessa forma corre sério risco de não obter a autorização de entrada. Nesse caso, você volta no próximo vôo para o Brasil, sem ter nem ao menos saído das dependências do aeroporto. Um prejuízo material e moral garantidos.

Outros devem ser feitos com muita antecedência aqui nas embaixadas dos respectivos países ainda no Brasil (algumas embaixadas só existem em certas cidades brasileiras, quem mora em Brasília se dá bem e não precisa gastar ainda mais dinheiro tendo que viajar atrás do visto em alguma embaixada). Com certeza, a maior fila de espera é a dos Estados Unidos. A úlima notícia que tenho é de uma espera para agendamento de mais ou menos 5 meses. Ou seja, nada de viagens relâmpagos para os EUA. Há uns 10 anos o visto era um bicho-de-sete-cabeças, depois dos ataques terroristas complicou mais, e hoje, ah....hoje no auge da crise do Tio Sam, eu acredito que esteja facinho facinho.

Não tem muito segredo, a maioria das pessoas que tem o visto negado é gente que não consegue provar que têm um vínculo com o Brasil, são  os potenciais imigrantes ilegais. O vínculo se dá com imóveis, casamento, família, trabalho efetivo, estudo, capacidade para se manter na viagem...etc. Se você for jovem, viver às custas dos pais e tiver um emprego não tão seguro, pode ter problemas. Os servidores públicos se dão bem nesses casos. Meu primo, quando criança, tentou trocentas vezes o visto para os EUA e conseguiu uma única vez e com validade de 6 meses, a dificuldade é que ele não tem pai e morava com a vó.

Pesquise no site da embaixada do país que você almeja os trâmites necessários para aquisição do visto. Provavelmente terá uma taxa de pagamento, um formulário para preencher e a exigência de fotos. Boa sorte!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Zoo Luján de Buenos Aires: a pior coisa para se fazer na vida

Balada em Punta del Este, no Uruguai

Balada em Cartagena de Índias, na Colômbia