Turismo Teórico



Estou com o panfletinho da CVC nas mãos. Não tô fazendo nada, então estou aqui me distraindo um pouco inocentemente. Estou passando os olhos nos pacotes da Europa e, como sempre, eles não me agradam em nada (ui que radical). Nem no preço nem nos detalhes maiores. Eu concordo que os pacotes são ótimos pois já te dão tudo mastigadinho e a relação de cidades também é bacana. Mas é só isso isso e ponto final.

As agências são as maiores vendedoras do chamado “Turismo Teórico”. Vou explicar, é aquela viagem na qual você conhece o mundo basicamente em 2 dias (ou menos). Nesses pacotões “Europa em 1 mês” você anda tanto, mas tanto, que confunde todas as bolas, não sabe distinguir em que cidade e país acordou hoje. Muitas das vezes apenas passa de ônibus pelos pontos turisticos (tipo na Torre Eiifel, aconteceu com minha mãe que teve que voltar por conta própria depois) além de ir a lugares onde só tem turistas e ter a oportunidade de conviver apenas com esse tipo de gente. Eu abomino essas viagens. Na maioria das ofertas os preços são altos pelo múmero de dias gastos esse é meu principal desmotivador. Mas não estou descartando essa opção, nunca. Tem coisa que vale a pena.

Tem gente tonta que adora contar vantagem e dizer que já visitou num sei quantos países, como se fosse uma competição. Você pergunta algum detalhe e ela se perde completamente. Além de não absorver nada, ainda chega em casa com uma fatiga inimaginável. Que férias são essas? Pense bem antes de sair comprando esses pacotes. 

Eu tenho comigo mesma a ideia de viajar com calma para vários lugares. Conhecer bem um país, andar por várias cidades e de repente pular para o país do lado. Na calma, na tranquilidade, para valer a pena. E afinal de contas se você conhece o continente todo em uma única viagem, o que vai fazer da sua vida nas próximas férias? Você não vai morrer amanhã, tem muita viagem ainda por vir.

Acho que o sentido de uma viagem gira em torno das experiências, vivências, valores e conhecimentos que são agregados na sua vida por osmose. Muita gente não pensa assim, mas o importante é viajar para  satisfação própria e não para os olhos dos outros ou abrir mais um álbum no Facebook. As viagens têm significados personalíssimos, e a sua, é só sua, nunca vai ser igual a de ninguém mesmo que seja para o mesmo destino ou até na mesma ocasião. Aproveite tudo da melhor forma, quem ganha é sempre você.

Comentários

  1. Pior é ter que acordar cedo todo dia e ficar seguindo o "script" da excursão, andando pra tudo quanto é lado em bando. Nem dá pra sair a noite. Excursão é bom pra terceira idade, ou então pra quem tem não fala inglês e tem medo de viajar sem guia.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Zoo Luján de Buenos Aires: a pior coisa para se fazer na vida

Balada em Punta del Este, no Uruguai

Balada em Cartagena de Índias, na Colômbia