Viajando de Trem



A opção de viajar de trem pela Europa é sempre muito bem cotada sempre que você planeja alguma ida até o velho continente. Também não foi nenhuma novidade para mim, a não ser a parte que eu nunca tinha entrado num trem para esse fim. Até que começei todo planejamento do primeiro “mochilão” ainda esse ano. Depois de uma pesquisa bem superficial, já ficou bem claro que não compensaria rodar algumas cidades e países de avião (nem nas companhias low cost) porque além da limitação de bagagem (muitas mal aceitam algum volume de mão), os aviões envolvem aeroportos, e esses são um atraso de vida: presença 50 horas antes do vôo, check-in, embarque, desembarque, espera de malas, tempo ruim, etc.

Eu digo que viajar de trem é a melhor decisão a ser tomada. Alguns pontos positivos (e decisivos):

  • Preço: Os preços em si já são muito bons, e as viagens noturnas são bem mais baratas.
  • Conforto: Eu acho que são mais confortáveis do que os aviões. As poltronas são mais amplas, tem uma inclinação boa, os trens são extremamente silenciosos.
  • Viagens Noturnas: Acho que te dão ganhos de horas muito bons. Tente já deixar esquematizado a hora da chegada e o check-in no hotel/hostel. Pode ser cansativo e de repente é melhor viajar de dia (tem que analisar caso-a-caso). Aconselho para pessoas que não estejam sozinhas pois é preciso ficar alerta para a estação de descida. A parte ruim é que você perde as divinas paisagens.
  • Pontualidade: A pontualidade é impressionante, se no seu cartão de embarque está marcado para as 18:35, às 18:30 o trem chega na plataforma e exatamente às 18:38 ele parte, com você dentro ou não.
  • Malas: Não existe limite de bagagem, só que os compartimentos são pequenos e se ele estiver cheio de gente, pode estar tudo lotado. Mas suba com tudo e vá achando ”beirinhas” para encaixar as coisas pelos corredores ou atrás dos bancos.
  • Lugares: É um entra e sai frenético de gente. Seu lugar já é reservado no ato da compra então fique tranquilo. Dependendo da viagem, o trem pode estar vazio e você pode ir numa poltrona dupla bem esticado e folgado. Tente não escolher assentos com uma mesinha no meio, eles são meio desconfortáveis. E se der, evite cabines com várias pessoas. São horríveis e constrangedoras.
  • Descida: Eu achei que descobrir a sua estação de destino era muito complicado. Não existe um programa para você ir seguindo (tipo de metrô). Para gente saber a hora de descer, tinhamos que fazer escalas de sono. Uma durmia e a outra ficava acordada de olho nas paradas. Colocávamos o despertador para 1 hora antes do horário previsto. Ficávamos a postos para descer a qualquer minuto pois só sabiamos o nome da cidade/estação quando estávamos entrando nela (no último minuto). Na próxima, vou ver se imprimo o itinerário do trem até o ponto final para saber ao menos a quantas paradas estamos do nosso destino.
  • Controle: Geralmente depois de algum tempo já dentro do trem, vem um fiscal conferir os bilhetes. Não me pergunte como eles controlam todo mundo (é um entra e sai danado), mas eles fazem certinho.

A coisa mais básica que existe é perder algum dos trens. Se você ainda não perdeu, um dia vai. Eu e minha prima perdemos um que nos levaria de Dresden até Munique (ambos na Alemanha). Estávamos pontualmente na plataforma e apesar da confimação no letreiro achamos estranho a movimentação de pessoas (quase nada). Ouvimos no serviço de som, um mulher falando um monte de coisa (em alemão) e começamos a nos preocupar. Eles tinham mudado a plataforma encima da hora, a moça estava falando isso, e quando saiu no letreiro a plataforma certa saimos correndo com as 500 malas pela estação. Chegamos lá exatamente 1 minuto depois da hora programada para saída mas ele já havia partido. Momento tenso! E não programado. Tivemos que ir até o balcão da cia, tentar explicar para atendente que não falava nada além de alemão e ainda nos garantir no próximo trem para Munique (que só ia sair às sete e pouco da matina). Resultado: noite congelante de mendigas na estação.


Eu tenho mais uma história engraçada. Eu estava no meu turno de sono num trem (também de uma cidade a outra da Alemanha), sonhando com nuvens e algodão doce. Minha prima, me deu uns tapinhas no ombro e disse “É aqui!”, como temos somente alguns minutos para embarque e desembarque eu levantei (ainda dormindo) e em frações de segundos, sem hesitar, vesti meu casaco, coloquei minha mochilona nas costas, peguei as duas malas de rodinha (uma em cada mão) sai andando para porta de saída e pulei! Pulei. - detalhe: minha prima de longe vendo tudo – Tinham 2 degraus para sair do trem, eu pisei em apenas um e saltei direto na plataforma. Como estava com a mochila de num sei quantas arrobas nas costas, desestabilizei, sai cambaleando uns 500 metros, joguei a mala da mão direita pra um lado, a da mão esquerda para outro e tentei um malabar com a mochila nas costas. Infelizmente tinha um rapaz no meio do caminho. Ele estava ali tranquilo quando a porta do trem abre e sai uma louca jogando coisas para todos os lados. Ele ficou apavorado não sabia se pegava minhas malas, se me acudia ou se saia do caminho. Acho que depois dessa loucura eu acordei de verdade. Depois da cena, sai minha prima na maior calma e devagareza do mundo. Foi hilário!

Você já pode sair do Brasil com todas as passagens compradas. No site da Tam (Rail Europe) é possível fazer pesquisas com preços já em reais. Eu achei os preços super caros, então fomos direto nos sites das companhias e compramos tudo por lá (apesar de estar escrito em alemão). Se as distâncias forem pequenas, não custa nada dar uma olhada nos trajetos de ônibus. Eu fico só imaginando, já pensou se tivéssemos essa estrutura ferroviária no Brasil? Aiaiai...

Comentários

  1. "tentei um malabar com a mochila nas costas" huahhuahuauahuahuhauhuahua estilo Mr Bean ?

    Sobre avião x trem, minha opinião é que trem só vale a pena em trajetos curtos e médios (até uns 700 km). Acima disso fica muito caro e cansativo, e avião acaba sendo um custo/beneficio melhor.

    ResponderExcluir
  2. kkkkkkkkk... ai, sei lá o que aprontei...farofa danada.

    ResponderExcluir
  3. Cá estou eu, tentando trabalhar e, por um pequeno momento venho passear neste blog e dou de cara com este post.
    Já imaginou o tamanho da gargalhada que eu dei?? Pois é...
    Foi digno de Mr Bean. Foi digno de Corra que a Polícia vem Aí. Foi digno de Ace Ventura. Sério!
    Acordo dona Aline e digo que chegou nossa estação. Ela coloca o cachecol, casaco, mochila, agarra as malas e sai desesperada correndo os 100 metros rasos. Só que ela pensou que era com obstáculos e deu um mortal com toda a parafernália. Coitado do seu moço na estação... Ficou chocado!! E eu não sabia se ria ou se corria pra resgatar as malas arremessadas... Digno de olimpíadas!!
    Saudade!!
    ;)

    ResponderExcluir
  4. hahaha...sempre que releio dou as mesmas gargalhadas, nao perde a graça nunca!!!! auuhauhauahuahu...

    o coitado ficou chocado para vida toda, vergonha alheia por ele...ficou mto sem gracinha tadim!

    hahahah

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Zoo Luján de Buenos Aires: a pior coisa para se fazer na vida

Balada em Punta del Este, no Uruguai

Balada em Cartagena de Índias, na Colômbia