Check-in online, bagagem de mão e transporte de líquidos




Eu confesso que nunca tinha feito o tal do check-in online (tive hoje minha primeira vez). Pelo simples, e não tão fácil, fato de eu nunca ter conseguido viajar para qualquer lugar que fosse com apenas uma mala de mão, e muito menos ainda, com alguma mala que pesasse até 5kg. Acho que minha bolsa do dia-a-dia já pesa tudo isso. Mas acho que é muito prático, mesmo nos casos de despacho de bagagens. Agiliza bastante seu tempo-aeroporto.

Uma pena, uma pena mesmo porque acho ótimo essas pessoas que fazem viagens rápidas, tipo um final de semana, e conseguem enxugar tanto as bagagens. São só vantagens, viajando só com uma malinha de mão você pode aderir ao check-in online e chegar com menos horas de antecendência no aeroporto, pode ir direto para o portão de embarque e pular aquela fila gigante dos balcões das companhias, você evita ficar horas e horas esperando suas coisas na esteira no aeroporto de destino e, a maior vantagem na minha opinião, você anula o risco de ter sua mala extraviada, roubada ou danificada.

Bom, se você é um mestre da organização e consegue viajar dessa maneira, eu ainda chego lá, lembre-se de obedecer as regras de peso (5kg) e seguir as regras de transporte de líquidos (se não me engano tudo começou com o 11 de setembro).

Essas regras dos líquidos é chata. Eu mesma nunca sei direitinho o que pode, o que não pode, e como deve ser. Na dúvida leve perfumes, desodorantes, cremes, gel e produtos de embalagem grande nas malas que serão despachadas. Se tiver que levar alguma coisa dessa natureza na mão, leve as amostras grátis/pequenas e coloque naqueles plásticos com fecho ziplock.

Minhas experiências não são muito boas. Fui para São Luis e no raio-x tive que jogar fora meu shampoo e condicionador sem sal novinhos em folha na lata do lixo (ai que raiva, que vacilo!). Outra vez na volta da Europa, no aeroporto de Lisboa, dei problema também no raio-x porque tinham 2 garrafinhas de vinho do porto (souvenirs) na bendita mala de mão (eu nem sabia que estavam lá, será que comprei muita tranqueira?). A sorte é que já tinha uma maquininha que vendia os plásticos (espertinhos) por 1 euro, daí consegui comprar e levei os vinhozinhos. Que vergonha meu Deus! Policial: “Algum líquido senhora?”, Eu: “Nãããããõ!”, Raio-x: “Piiiiiiii”. Segue mais uma brasileira...

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Zoo Luján de Buenos Aires: a pior coisa para se fazer na vida

Balada em Punta del Este, no Uruguai

Balada em Cartagena de Índias, na Colômbia