Paris - parte 2




Este post é um complemento do Post Paris - parte 1, meu primeiro relato sobre a cidade ainda em 2009. 

...dessa vez me hospedei numa região completamente contrária da que fiquei em 2009 (La Villette) e também por mais dias. 

Fiquei no bairro de Porte D'Ivry, e me hospedei no Kyriad Paris Sud - Porte D'Ivry. O hotel fica há uns 10 minutos da estação de metrô e e numa região tranquila. Em Paris o importante é ficar perto do metrô, sempre. Era um hotel digno e decente, nada demais.

Nesse mês de maio tava rolando um friozinho básico, mas com muito sol e uma necessidade louca de muito protetor solar. 

Essa ida foi muito imporante para eu valorizar a minha primeira vez em Paris, pois fiquei "muito menos" tempo e fiz um roteiro com minha prima que foi de enlouquecer qualquer um. Fizemos cada minuto daqueles dias render mais do que humanamente podiam. Dessa vez, por obra do destino (e olha que nem acredito tanto assim nele), encontrei uma amiga que coincidentemente conheci lá em Paris: a dona Sammyra que estava passando uma temporada básica pela França e compartilhou com a gente várias experiências na capital. Inclusive com direito à Favela Chic (nosso bar/boate preferido) mas sem boa noite cinderela...hilário...

Eu já tinha dito que Paris é o tipo do destino que você precisa voltar periodicamente porque sempre vai acrescentar alguma coisa na sua vida. E minha segunda vez me provou isso. Mais importante do que conhecer Paris, é importante voltar lá. 

Refiz alguns passeios (que agora me mostraram coisas que eu não tinha visto antes) e fui a locais novos. Foi pura mágica, como Paris é.

Os maiores ganhos da viagem foram:

- Basílica de Sacré-Coeur no bairro de Montmartre que é tudo aquilo que foi mostrado do filme da Amélie Poulain. Não tinha dado tempo de ir da outra vez e eu mal esperava para subir toda aquela escadaria que deu câimbra nas duas pernas da minha prima. Na real, a escadaria não é tão hard e no caso de pessoas com mais dificuldade de deslocamento (como minha mãe e tias) existe um mini-teleférico na lateral para fazer a escalada até o topo da montanha e entrada da igreja. Basta usar um dos bilhetes de metrô e perder uns 2 minutos da sua vida. Enquanto isso lá nas escadas o dia estava lindo, o céu maravilhoso e as panturrilhas mega torneadas.

É possível entrar na basílica e ir até a sua cúpula, que deve ter uma vista de Paris mais impressionante ainda. A cerejinha do bolo fica nas ruas que ficam atrás da Sacré-Coeur, tem um monte de lojinha, restaurante e cenários para fotos. Uma delícia.

- Outra região que achei o máximo ter conhecido é o Quartier Latin que é um dos mais caros do pedaço. Se você quiser boemia noturna corra para lá, pois está cheio de bares e mini boates super interessantes, já durante o dia também é bem legal porque possui uma porrada de restaurantes muito gostosos. Depois dali, ainda fomos caminhando e achamos várias lojinhas de souvenirs e a diversão foi garantida.

- Não tinha ido na famosa ponte dos cadeados de Paris. É fato de que praticamente em todas as pontes você ache símbolos de amor pendurados, mas tem uma delas que pode ser considerada a principal: Pont de l'Archevêchê. A coitada está mega super lotada, não cabe mais nenhum cadeado. Pelo que dizem é estritamente proibido anexar mais algum sob o risco de desmoronar a ponte rio Sena abaixo. É fácil de achar essa ponte, ela fica meio que nos fundos da Catedral de Notre Dame na Île de la Cité.

- Também fomos até os Jardins de Versailles e ao show Lido na Des Champs-Élysées, mas estes são assuntos para posts exclusivos.

-  Obviamente voltei à Torre Eifel, e dessa vez com direito à observação do Trocadéro, um local bem conhecido por fotos da torre (e cenas de filmes também). Realmente, vale muito a pena. Desça no metrô do Trocadéro, Faça mil fotos e desça as escadaria para chegar até ela. As fotos noturnas também ficam maravilhosas. 

- Refiz o Arco do Triunfo, Pompidou, a avenida Des Champs-Elysées, o Arc de la Defense, a catedral de Notre Dame, o museu do Louvre (conheci outros setores), Les Galeries Lafayette. E andei muito pelas ruas, ai plea região dos Invalides e Place de la Concorde.


Veja o post Paris - parte 1. 

Paris - França   Viagem: 2009 (novembro), 2014 (maio)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Zoo Luján de Buenos Aires: a pior coisa para se fazer na vida

Balada em Punta del Este, no Uruguai

Balada em Cartagena de Índias, na Colômbia