Medellín



Incluímos Medellín no roteiro sem saber praticamente nada a respeito da cidade, era só um nome conhecido. Depois vieram algumas pesquisas simples e ficamos seguras de que tinha sido uma escolha, no mínimo, interessante. 

O mais legal é que foi, de longe, a melhor hospedagem da viagem (e top 5 da minha vida). Ficamos num bairro super bacana e delicioso da cidade (fica mais afastado do centro) que se chama El Poblado. Não tenha dúvidas em ficar em algum lugar por ali, lá estão reunidos vários bares, restaurantes e baladas, além de ter um clima maravilhoso (requintado). Nosso hostel (boutique, sim boutique) foi o Happy Buddha - detalhe que tinha uma moça só para preparar o seu café, era só numerar o que queria que ela fazia tudinho e te entregava literalmente de bandeja. Esse hostel foi uma atração à parte, era muito legal. Mega confortável e limpo além de super badalado (pessoas de todos os cantos do mundo). Rolavam festas no terraço que bombavam de gente até que não estava hospedado. Dá vontade de voltar o tempo todo para lá.

Pertinho do hostel está o Parque Lleras, durante o dia é bem pacato, mas durante a noite é o verdadeiro point da galera. Ao seu redor existem uma série de restaurantes muito delicinhas além de baladinhas (com placas proibitivas para o uso de armas).

Para ir até o centro da cidade usamos o metrô, eles têm uma linha bem satisfatória. No centro visitamos o Museo de Antioquia (e seu terraço) que está exatamente na Plaza Botero (Plaza de las Esculturas) que tem um monte de réplicas das esculturas do Botero espalhadas pela praça disponíveis para fotos e escaladas. Também na mesma praça está o Palácio de la Cultura que dentre várias exposições e instalações, oferecia a Exposição de Botero com as peças originais.

O centro é relativamente grande mas deu para fazer vários trajetos a pé. Pegamos um mapa no centro turístico da Plaza Botero e seguimos a caminhar. Às vezes era um pouco tumultuado porque passávamos por umas ruas de lojas e compras e aí já se viu...mas foi tranquilo, não surgiu nenhuma ameaça de segurança. Compramos pelas lojinhas as famosas bolsas colombianas por um preço mais digno e até uma versão de "O amor nos tempos do Cólera" num desses sebos tradicionais de rua.

Fomos até a Catedral Metropolitana e depois pegamos o metrô até a Estación Cisneros. Passamos pela igreja Sagrado Corazón de Jesús indo em direção ao Parque de los Pies Descalzos, uma mini praça onde a brincadeira é colocar os pés na areia (numa forma de terapia) e esquecer um poucos dos problemas já que a arquitetura com algumas fontes de água gelada isolam o barulho característico da cidade, do trânsito e etc. É bacaninha. Ali do lado está a Plaza Mayor onde tem uma série de restaurantes que são ótimas opções para o almoço. Conseguimos até encontrar um arroz com frango delícia, e para acompanhar um refrigerante Quatro. Nessa região ainda tem a Plaza Cisneros que traz a ideia de ser um bosque artificial com cerca de 300 postes de iluminação.

Não deixe de ir no Metrocable, o teleférico integrado com o metrô que serve como transporte público (o primeiro da América latina para tal fim). Ele foi criado para chegar nos locais mais difíceis de acesso como nas favelas verticais que ocupam uma grande região da cidade. São morros (estilo Rio de Janeiro) imensos e que parecem não ter fim. Segue-se até a estação final do metrô e depois é possível prosseguir viagem morro acima via Metrocable passando por cima das favelas e por várias estações no meio desse caminho. Um passeio imperdível, dá pra ver vários detalhes da vida daquela população e seguir uma boa parte do trajeto pela floresta preservada - não se esqueça de levar roupa de frio porque nessa altura do campeonato a temperatura está bem baixa.

Eu gostei muito de Medellin mas confesso que mais pelo bairro El Poblado. Ele por si só já compensa a viagem porque oferece opções mil de restaurantes e baladinhas muito gostosas. Além de concentrar pessoas de vários lugares do mundo nos seus hostels.

Veja as dicas de balada em Medellín aqui.


Medellín - Colômbia         Viagem: 2014 (setembro)

Comentários

  1. Amigo preciso muito da sua ajuda, não consigo encontrar o hostel que vocês cita no texto o Happy Buddha, pois tem dois na cidade de Medellin, sabe me informar qual é? Se consegue me passar o site pois os que tem já estão indisponíveis.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Zoo Luján de Buenos Aires: a pior coisa para se fazer na vida

Balada em Punta del Este, no Uruguai

Balada em Cartagena de Índias, na Colômbia