Salvando a Lua-de-mel...

"Na facilidade e na dificuldade..."

Dessa vez vou escrever sobre um assunto que é inédito no blog e na minha vida: lua-de-mel. Fui procurada por algumas pessoas que queriam muito ler algo sobre as viagens pós-nupciais, com foco basicamente no quesito dinheiro. Eu tenho pensado muito no assunto para não escrever muita abobrinha e perder o foco, apesar de esse tema ser novidade também para a minha pessoa.

Eu acredito que deva ser uma tarefa extremamente complicada se você não estiver casando com Rafael Nadal, porque haja dinheiro para organizar uma festa (com o mínimo de decência), construir/comprar uma casa e ainda colocar todos os recheios nessa casa. Parando para pensar, a viagem (coitadinha) fica bem prejudicada na lista de prioridades da noiva, quer dizer, do casal. Fora aquelas mulheres que, de repente, dêem mais importância à viagem, a grande maioria dispende mais money na festa, na casa ou em doces.

Então vou tirar o foco dos casais que valorizam acima de tudo a viagem de lua-de-mel e dedicar o texto aos que vão ter que dividir a poupança entre a festa, a casa e a viagem. Pessoas que precisam de uma solução econômica para não deixar a primeira noite oficial acontecer num apartamento cheio de caixas ou na casa dos pais junto com mais 30 primos que vieram de fora.

Antes de pensar qualquer coisa, é bom o casal conversar para saber se algum dos dois tem um sonho de ir para algum canto, e depois disso ver se será viável. Se for, ótimo! Problema resolvido! Se não for, aí é bom ver opções similares ou descobrir uma nova. Leve também em consideração o período do ano em que a viagem se dará (verão, inverno, baixa ou alta temporada...etc).

Basicamente é bom definir o estilo de destino que mais funciona para o casal. Não adianta a noiva ser fissurada por Disney, e decidir levar o marido para lá sendo que ele já tem mais de 25 anos mentais. Pode ser legal em outra ocasião, não para lua-de-mel. Então o que vai ser melhor?
  1. Praia
  2. Montanha
  3. Cidade grande
  4. Cidade pequena
  5. Atividades Indoor (querem ficar trancafiados num hotel/resort e não interessa o que está acontecendo lá fora?)
  6. Atividades Outdoor
Depois disso, defina – levando bastante em consideração a grana disponível – se vão ficar dentro ou fora do país. Com essa fase decidida, a anterior sobre o estilo da viagem vai se estabelecer naturalmente. Com um bom objetivo na cabeça ficará tudo mais simples, até a parte em que vocês planejam o roteiro ou simplesmente passam o cartão para algum pacote montado da agência de viagens. 

Acho que por mais que nessa fase todos os recursos sejam sagrados, vale a pena fazer um esforcinho para não deixar a data passar em branco. A única coisa que acho imprescindível é fugir da família, mesmo que a sua opção seja ir passar a noite numa barraca na Chapada dos Veadeiros. Tem que ser uma coisa só de vocês, só do casal. E não vamos esquecer dos sites de compra coletiva que têm trilhões de ofertas de viagens e que podem salvar a sua barra (muito cuidado na hora de escolher). Na minha opinião a viagem vai fechar com chave de ouro o grande dia, seja lá pra onde vocês forem (isso é o de menos).

Para ajudar a pensar:




No Brasil
No exterior
Com $
Fernando de Noronha, Costa do Sauípe, Porto de Galinhas, Gramado, Campos do Jordão e grandes resorts.
Ilhas do Caribe, Havaí, Itália, Espanha, Canadá, França, Taiti, Emirados Árabes, Grécia, Austrália, Nova Zelândia e cruzeiros.
Sem $
Capitais do nordeste e sites de compra coletiva.
Portugal, EUA, Argentina, Chile, Uruguai, Peru, Venezuela e Ilhas do Caribe.
(procure nos sites de compra coletiva)

Mais ajuda para escolher: veja aqui.


Sites de compra coletiva especial Viagens: Groupon, Peixe Urbano, Groupalia, Clube Mac, Click on, Viajar barato, Compra Coletiva, Viagens Coletivas, Hotel Urbano.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Zoo Luján de Buenos Aires: a pior coisa para se fazer na vida

Balada em Punta del Este, no Uruguai

Balada em Cartagena de Índias, na Colômbia