Aeroportos: olha o perigo...



Um dos problemas de se viajar é arriscar suas malas, tanto na ida como na volta, nas mãos das cias aéreas e aeroportos. Eu não posso imaginar como seria embarcar de férias e chegar no local sem nada do que levou. Aconteceu com um casal de primos meus. Eles compraram um pacote na CVC de 1 mês (um mês = 30 dias = 4 semanas = 720 horas) pela Europa (+/- 1.678 países) e as malas dos dois nem sequer sairam do aeroporto de Brasília. Resumindo o caso, a indenização foi de 5 mil reais para cada um. Eu não consigo raciocinar um caso desses...

Eu confesso que sempre me preocupei com minhas malas, mas quando volto de lugares como Miami a preocupação é extrema. Quer malas mais visadas do que essas? Pois é, além de repente algum item sumir de alguma mala (já aconteceu com um primo que teve acessórios do Wii roubados), eles podem desaparecer com mala completa. 

Ontem o Fantástico fez uma reportagem sobre a prisão de uma quadrilha que agia no aeroporto de Guarulhos. Eles desviavam as malas internacionais para esteira dos vôos domésticos. Depois vendiam a parafernalha nova e dividiam entre si as coisas usadas. É um absurdo ter que se sujeitar a esse tipo de risco, ter que engolir esse problema e adotar atitudes que podem vir a evitar a dor de cabeça. Um absurdo imenso. A gente que se vire, reze, torça para que não sejamos os lesados da vez. 

As dicas (que nem sempre eu sigo) são:
- Guardar todas as notas fiscais de tudo que tenha comprado na viagem;
- Tirar fotos das malas feitas;
- Tentar programar sua volta com vôos diretos, evitar as conexões;
- Levar na mala de mão objetos de valor sentimental ou aqueles insubstituíveis.



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Zoo Luján de Buenos Aires: a pior coisa para se fazer na vida

Balada em Punta del Este, no Uruguai

Balada em Cartagena de Índias, na Colômbia