Quanto levar de dinheiro: o mistério dos dólares voadores

"Dinheiro na mão é vendaval..."


Há algum tempo venho prestando atenção num fato que tem se repetido muitas vezes comigo e com pessoas próximas quando se trata de viagens aos Estados Unidos e o usufruto do dólar. Está quase virando mais uma de minhas teorias o fato de que no planejamento da viagem a quantia programada de dólares a ser levada (seja ela qual for), como que num passe de mágica, depois do desembarque no aeroporto americano (seja ele qual for), é reduzida em valor quase que pela metade. 

Se você sai do Brasil com U$ 2.000, assim que passa pela imigração olha na carteira e estranhamente só vê U$ 1.000 ou menos. Vou explicar, esse é o caso clássico do psicológico (ou do capitalismo ultra selvagem) se manisfestando na vida prática. É engraçado, mas dinheiro nunca é suficiente na terra do Tio Sam. Quando um amigo em vésperas de viagem me pergunta quanto deve levar, eu já desisti de fazer o velho cálculo dos dias vs grana. Não bate, simplesmente não dá!

Em qualquer viagem "normal" eu sempre usei a fórmula do consumo diário e multipliquei o valor pelo número de dias gastos. Para uma viagem mais "mochileira" a média seria 100 unidades da moeda em questão, numa viagem mais "Patricinha" o valor gira em torno de 150 por dia ou mais. Mas caro amigo, se o destino for os Estados Unidos da América, esqueça isso!

Nos EUA, a teoria do cálculo funciona que é uma beleza até prevendo item por item de cada gasto inevitável, mas na prática...na prática o mistério faz alguma mágica sinistra dentro da sua carteira ou doleira.  Por incrível que pareça eu consigo gastar menos numa viagem por várias cidades e países da Europa pagando por todo tipo de serviço e fazendo todo tipo de passeio, que numa viagem para os EUA que já fui no mínimo 5 vezes, onde não pago hospedagem, muitas vezes nem comida e transporte, e geralmente perambulo por apenas duas cidades. Levando em consideração que o dólar é mais barato que o euro, agora acho que você entendeu o meu espanto. 

Talvez seja por isso que a quantia que o brasileiro gasta em média em viagens para os Estados Unidos de U$ 5.000 nem não me assusta mais. Trocando em miúdos, por mais que o Dólar esteja numa cotação boa em relação ao Real, a viagem sempre acaba saindo meio cara (lembrando que sempre tem um ótimo custo x benefício). O ideal é se programar para isso, e não cair na besteira de viajar no limite de recursos escassos com a velha máxima do "Estou indo só para passear". Se ao invés de "passear" não quiser "chatear", vá passear em outro país então. 

Se a dúvida de quanto levar numa viagem para os States permanecer, minha dica é fixar seus cálculos no mínimo do mínimo de U$ 100 por dia. E se for esperto, usar esse valor apenas como ponto de partida e tentar economizar ao extremo para levar o máximo possível de doletas para diversão. E juntamente com eles o maior número de cartões de crédito habilitados para uso no exterior e, ainda, para emergências, um rim em bom estado de uso. 


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Zoo Luján de Buenos Aires: a pior coisa para se fazer na vida

Balada em Punta del Este, no Uruguai

Balada em Cartagena de Índias, na Colômbia