Jericoacoara, no Ceará



Jericoacoara, mas conhecida por "Jeri", é um paraíso que dá trabalho para chegar, mas que compensa cada segundo. Não hesite em marcar planos para curtir esse destino.

Pois bem, Jeri é uma aldeia de pescadores que fica isolada por dunas no litoral cearense. É uma cidadezinha "pé na areia" no stricto sensu da expressão. Não existe iluminação pública via postes tradicionais e a vibe é maravilhosa o tempo todo. Para sacar dinheiro, só no prédio dos Correios (e ainda assim, acho que só pra correntista do Banco do Brasil - verifique essa informação). 

Como chegar...

Existem basicamente três formas de chegar à Jeri: 
1ª - Saindo de Fortaleza (mais longe);
2ª - Saindo do Piauí (mais perto);
3ª - De helicóptero (perto para qualquer pessoa abastada). 

Eu sai de Fortaleza e pude optar por uma empresa que faz o traslado direto pela rodovia ou via praias (margeando todo litoral cearense). No caso, escolhi a segunda opção dividindo o carro (Hilux) com mais um casal de amigos. Essa opção é mais carinha, à época pagamos cerca de R$ 1.600 no trecho de ida (via praias) e volta (via rodovia), mas super vale a pena porque dá pra ir parando pelo caminho e curtindo o visual. Fechamos tudo com a empresa Jeri Dunas.

Apesar de parecer que é meio "hard" essa ida pelas praias, na vida real, é totalmente tranquila, mas claro que com os sacodes do carro, principalmente, quando estamos chegando em Jeri...simplesmente o caminho é por meio das Dunas (que mudam com o vento o tempo todo) e ainda assim o gênio do motorista consegue saber pra onde está indo (mesmo anoite). 

Porque achei Jeri mais interessante que os Lençóis Maranhenses?
Antes de qualquer coisa, preciso dizer que os Lençóis são maravilhosos, uma arte divina inexplicável (falei sobre eles aqui).
Meu ponto é dizer que Jeri (numa comparação incomparável) com os Lençóis sai na frente no sentido de "conjunto da obra". Enquanto no Maranhão as piscinas de água doce natural são formadas pela água da chuva nas dunas, Em Jeri acontece basicamente a mesma coisa, sendo que é de mais "fácil" acesso e possui muitas vezes uma infra mínima para se passar o dia, como banheiros e bares que aceitam débito.
Na minha percepção, os Lençóis são mais uma pegada "passeio/aventura temporário do dia" porque o pacote inclui várias outra atividades, já as Lagoas de Jeri são destinos para o dia inteiro, para fazer refeições, refletir a vida, praticar stand paddle, kite surf, etc.
Resumindo ambas são maravilhosas, pois oferecem água doce e morninha (em alguns casos transparente), calor, vistas deslumbrantes e momentos inesquecíveis; a diferença é a infraestrutura oferecida.

Onde ficar...

Esse é um dos grandes desafios: decidir onde ficar. Basicamente qualquer lugar está perto de tudo. Então eu tenho três sugestões básicas que variam em torno do perfil e buget de viagem:

Custo Benefício / Família
A Pousada que fiquei com um casal de amigos e parte da família é a Capitão Thomaz. Fiz reservas direto com o hotel e consegui preços melhores do que na internet. Escolhemos essa pousada pela localização ser de frente com a praia, ter instalações comuns bem fofas, piscina e estar a poucos passos da praça central e da Duna do Pôr-do-sol. Durante o dia ela também oferece uma estrutura de mesas e serviço para quem quiser curtir a praia de Jeri (para hóspedes e não hóspedes). O quarto em si era bem simples, mas fazia o seu papel principal sem problemas.

Custo Benefício / Superior 
Do lado da Capitão Thomaz está o Hotel Mosquito Blue com uma fachada, vibe e postura completamente diferentes. Tem um ar muito mais sofisticado e pelo pouco que dava para ver, tinha uma piscina imensa e bastante provocante. Também tinham estrutura para praia só que mais fancy.

Muito Custo com Muito Benefício / Super Luxo
Se você acompanha as notícias de fofoca de celebridades já percebeu que todas que vão à Jeri, da Beyonce às Panicats, tiram fotos no Essenza Hotel (lembra do pessoal que vai de helicóptero?). Esse mudafucker hotel tem uma piscina privada na sacada de cada apartamento, piscina de borda infinita e a coisa toda. Ele também fica de cara com a praia de Jeri só que mais colado com a Duna do Pôr-do-sol.

O que fazer...
- Não perca a Duna do Pôr-do-sol em qualquer um dos dias que estiver por lá (ou em todos eles). Pergunte ao pessoal do hotel qual a melhor hora de ir para não perder o timming.
- Fechamos um passeio de um dia que consistia em ir de caminhonete (pode ser de bugue) até a Pedra Furada (cartão postal de Jeri), Árvore da Preguiça (tomba para o lado por causa do vento forte) e terminamos na Lagoa do Paraíso (nossa preferida). Essa lagoa é o melhor conceito de paraíso na Terra, vale cada segundo, cada centavo e cada marca das redes pelo corpo. Quando tiver feito todos os passeios que lhe interesse, avalie ir direto para lá passar o dia no "jeito público", tipo num pau de arara, ou contratando um bugueiro/caminhoneteiro.
- No outro dia pegamos um passeio parecido só que para a outra direção, passava pelos mangues, depois parava um local de observação de cavalos marinhos (graças ao bom Deus nesse dia não foi possível ir - já estávamos prontos para pedir para o guia passa direto), pela Lagoa Azul e depois ficamos na Lagoa Grande. Ambas não estavam tão bonitas e atrativas como a Lagoa do Paraíso, porém eram deliciosas. Vi pessoas praticando SUP e Kite Surf.

Onde dançar...
Dica de balada em Jeri aqui.

Só de escrever meu peito aperta de saudade...

Viagem: Março (2016)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Zoo Luján de Buenos Aires: a pior coisa para se fazer na vida

Balada em Punta del Este, no Uruguai

Balada em Cartagena de Índias, na Colômbia