Copa do Mundo 2014 - Brasil



Imprescindível escrever sobre essa experiência que vai ficar registrada até meus últimos dias na terra. Fui voluntária da copa do mundo 2014, na cidade-sede Brasília e mal consigo encontrar palavras para descrever todos os sentimentos. 

O programa de recrutamento de voluntários para esse blaster-master evento começou em fevereiro de 2014 onde todos os interessados passaram por uma bateria de etapas de seleção como treinamentos online, dinâmica de grupo, prova oral de inglês e entrevista individual - tudo para selecionar, dentre os 152.101 inscritos no Brasil inteiro, 5.652 voluntários que se dividiriam entre as 12 cidades sede (Fortaleza, Recife, Manaus, Cuiabá, Brasília, Rio de Janeiro, Curitiba, Natal, Salvador, São Paulo, Belo Horizonte e Porto Alegre). 

Eu sempre quis participar de algum evento como a Copa, cheguei a me inscrever no programa de voluntariado do Pan do Rio de Janeiro mas acabei tendo que recusar a chance por não conseguir concluir a entrevista individual no Rio. 

Pensando na Copa, me inscrevi no voluntariado da Copa das Confederações em 2013 para adquirir experiência e facilitar minha entrada no programa do ano seguinte. Deu certo. 

Tive a imensa sorte de ser alocada na área de meu maior interesse a Media Operations que tinha como objetivo planejar, executar e operar a infraestrutura e serviços para toda a imprensa credenciada. 

Ao longo dos trinta dias de competição o Centro de Midia permaneceu aberto para abrigar todos os profissionais de midia (impressa, rádio, TV, internet, etc) de todo mundo. 

Tivemos a sorte de conviver com 60 voluntários da área de mídia que impressionantemente era composta por pessoas vindas de várias partes do Brasil e do mundo. Tinha muita gente de Goiânia, Minas Gerais, São Paulo, e até colegas que vieram, especialmente para o trabalho, do Japão, Alemanha, Costa do Marfim, Portugal, Paraguai, Costa Rica, Colômbia e Irã. Preciso descrever a delícia que era chegar para o trabalho no estádio? Foi tão bom que cheguei a ir em dias que teoricamente não tinha escala. 
     
Placas de orientação no Estádio Nacional

Pudemos fazer parte de várias atividades essenciais tal como a divulgação das listas de escalação, estatísticas de jogo, distribuição de tickets para fotógrafos e jornalistas que fizeram a cobertura dos jogos no campo e na Tribuna de Imprensa, realização das Coletivas de Imprensa nas vésperas e dias de jogos (MD e MD-1), participação nos reconhecimentos de campo pelas seleções participantes e da zona mista para entrevistas com os jogadores, posicionamento de fotógrafos no campo nas execuções de hinos, etc.

Ônibus do Brasil chegando para o jogo Brasil x Camarões: "Preparem-se o hexa esta chegando"

Foi o máximo ter feito a cordinha dos fotógrafos no jogo da Argentina x Bélgica (quartas de final), ter participado da coletiva de imprensa com o Felipão e Thiago Silva para o jogo do Brasil x Camarões, ter ficado na tribuna de imprensa nos jogos da Colômbia x Costa do Marfim, Brasil x Holanda (3° lugar), ter assistido do estádio Portugal x Gana, e presenciar no dia a dia a participação de pessoas com notório reconhecimento da televisão e do futebol. 

                      Vista do campo da Tribuna de imprensa



Fotográfos em campo no jogo Argentina x Bélgica

           

Adorei conhecer todos, colecionar os copos da Coca-cola, ganhar os pin para congestionar o cordão da credencial,  ver o entusiasmo da chegada dos torcedores no estádio, os hinos nacionais que arrepiavam todas as vezes que eram executados, os gritos, olas e músicas de incentivo aos jogadores, os sorrisos de cada um que sabia da importância de estar ali naquele momento. Amei compartilhar momentos inesquecíveis para qualquer fã do futebol e apaixonado pelo Brasil. Sem falar na parte de, pelo o menos, poder ver a Alemanha sendo tetra campeã em cima da Argentina no Maracanã. Foi lindo...realmente estavam todos num só ritmo. 

Voluntários Media Centre - Estádio Nacional - Brasília

A única vontade que fica é de Rússia em 2018!!!Valeu Brasil! #acopadascopas

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Zoo Luján de Buenos Aires: a pior coisa para se fazer na vida

Balada em Punta del Este, no Uruguai

Balada em Cartagena de Índias, na Colômbia